Dois médicos, um a trabalhar na Google, um financeiro, uma enfermeira e uma gestora para gerir SNS

O CEO da Direção Executiva do SNS já escolheu as cinco pessoas que vão trabalhar consigo durante um mandato de três anos. O DN sabe que todas aceitaram o convite e que o médico Francisco Goiana da Silva, atualmente gestor da área de parcerias estratégicas da Google, deixa Londres para regressar a Lisboa e abraçar esta nova função. Fernando Araújo só aguarda agora que os nomes dos cinco profissionais sejam levados a Conselho de Ministros para a equipa começar a trabalhar.

Fernando Araújo, o médico e gestor nomeado pelo ministro da Saúde, Manuel Pizarro, para CEO da Direção Executiva (DE) do SNS, já tem a sua equipa constituída. O DN sabe que todos os convites já foram feitos e que todos foram aceites. Neste momento, Fernando Araújo, que até à sua indigitação foi presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário São João, no Porto, aguarda agora que os nomes dos escolhidos sejam levados a Conselho de Ministros para a equipa começar a trabalhar, embora só entre oficialmente em funções, e como está no despacho de criação desta nova estrutura da Saúde, a 2 de janeiro de 2023.

Assim, e além de Fernando Araújo, que também já passou pelo Ministério da Saúde, como secretário de Estado da Saúde do ministro Adalberto Campos Fernandes, a equipa da Direção Executiva do SNS terá mais dois médicos, uma enfermeira, um financeiro e uma administradora hospitalar.

Para já, estão confirmados os nomes de Fátima Fonseca, diretora clínica para a área dos cuidados primários do ACeS do Alto Minho e vogal do conselho de administração, e Jaime Alves, financeiro, do quadro do Ministério das Finanças, mas há muito a trabalhar na área da Saúde, estando a ocupar, neste momento, um cargo de vogal do conselho de administração do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central.

O DN sabe ainda que o outro médico escolhido para integrar a equipa é Francisco Goiana da Silva, que atualmente estava como gestor da área de parcerias estratégicas da Google, a trabalhar em Londres, regressando agora para esta nova função e para trabalhar a partir de Lisboa, embora a sede da DE do SNS seja no Porto. Os restantes elementos são uma enfermeira e uma administradora hospitalar, ambas de unidades da região Norte, cujo nome ainda não foram divulgados.

Sobre Francisco Goiana da Silva sabe-se que foi adjunto de Fernando Araújo, entre 2015 e 2018 quando este desempenhou funções de Secretário de Estado Adjunto da Saúde, durante o ministério de Adalberto Campos Fernandes. E nesta condição integrou várias vezes as delegações portuguesas nas assembleias da Organização Mundial da Saúde (OMS).

No seu currículo, publicado na página da Nova Medical School, onde exerceu funções de docente, pode ler-se que, até dezembro de 2021, foi diretor-geral da área de novos negócios de saúde no grupo SONAE MC e que, atualmente, é Chief Strategy Officer da Startup de Saúde Digital "Dioscope" e nomeado gestor da área de parcerias estratégicas do YouTube/Google para as regiões Europa, África e Médio Oriente, em abril de 2022.

O médico, formado em Medicina, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e Doutorado, desde janeiro de 2021, em "Health Policy, Global Health Innovation", pelo Imperial College Faculty of Medicine, tem-se dedicado intensivamente às áreas da promoção da saúde e prevenção da doença.

Fernando Araújo, cujo trabalho no SNS, como médico e gestor, tem sido fortemente elogiado, assumiu um mandato de três anos e, em entrevista à CNN, já deixou claro que o sistema público precisa de profissionais competentes de uma gestão mais eficiente. E que quanto à sua relação com a política, já assumiu também que se tiver que dizer que não, também o fará.

Fernando Araújo foi anunciado pelo ministro da Saúde. Manuel Pizarro, a 23 de setembro, que, na altura, justificou a escolha com a seguinte declaração: "Julgo que ninguém no país, e sobretudo no setor da Saúde, tem quaisquer dúvidas de que é uma personalidade com todas as condições para dar ao SNS um aporte em matéria de gestão que todos julgamos ser necessária."

Na altura, Manuel Pizarro explicou que foi proposto por Fernando Araújo que a sede da DE do Serviço Nacional de Saúde ficasse localizada no Porto, algo que foi aceite pelo Governo. No entanto, salientou, que a competência na área da saúde é transversal a todas as regiões, sublinhando que "o diretor executivo terá toda a autonomia para nomear todos os cargos de gestão que considerar adequada."

Peça atualizada às 11.45

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG