Confinamento desce ligeiramente há três semanas seguidas

Sexo masculino e classes sociais mais baixas são os segmentos que mais desconfinaram nas últimas semanas

O índice de mobilidade na população portuguesa está a 72% em relação à situação pré-covid nos dias úteis, indica um estudo da empresa de consultoria PSE.

De acordo com uma nota enviada às redações, "a tendência é clara, e indica uma subida paulatina da mobilidade, nos dias úteis", sobretudo às sextas-feiras, dia em que se regista uma tendência de crescimento de 10% nos últimos 30 dias.

Se na primeira semana depois do fecho das escolas o Índice de Mobilidade foi de 59, 60 e 61%, desde o dia 12 de fevereiro que a mobilidade está tendencialmente acima dos 70%, sendo a média desse período de 72%.

Isto quer dizer que, aproximadamente, há atualmente em circulação mais de 70% da população que circulava no período pré-pandemia.

Se as medidas adotadas para o confinamento conseguiram com sucesso uma redução da mobilidade de 40%, atualmente essa redução é já inferior a 30%.

Em termos nacionais, o valor médio semanal do confinamento nos dias úteis caiu de 51 para 48%.

Tendo em conta o confinamento adicional, que se reporta às pessoas que habitualmente e antes da pandemia não ficavam em casa e que por força das atuais circunstâncias têm de ficar em casa, o pico deste segundo confinamento teve o seu pico na quarta semana de 2021, com 27,2%. No primeiro confinamento, o pico foi de 36,5%, por altura da Páscoa. Este valor tem vindo sempre a reduzir ao longo das últimas semanas, tendo sido de 21,5% na terceira semana de fevereiro.

Este indicador diz-nos que o nível real de confinamento neste segundo confinamento é 9,3% inferior ao primeiro, o que corresponde quase a um milhão de pessoas.

A informação do Painel PSE indica também que as pessoas do género masculino e as que pertencem às classes sociais mais baixas são as que estão a desconfinar mais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG