Ciberataques: Laboratórios Germano de Sousa mantêm-se encerrados

Há doentes a aguardar a chegada do resultado de exames. Laboratório do Porto e postos do Norte deverão reabrir terça-feira; em Lisboa isso só deverá acontecer na quarta-feira.

Os laboratórios de análises clínicas Germano de Sousa mantêm-se fechados ao público esta segunda-feira na sequência do ataque informático, estando o grupo a tomar as diligências necessárias para recuperar a sua atividade o mais breve possível.

"O Grupo Germano de Sousa está a tomar as diligências necessárias no sentido de mitigar o ataque informático e recuperar a sua atividade para dar resposta aos seus utentes o mais rápido possível", refere o grupo numa nota publicada na sua página na internet.

Relativamente aos resultados de exames pendentes, o grupo diz que ainda não tem capacidade de os enviar até que a situação fique resolvida.

"Informamos também que os dados de todos os nossos utentes não foram comprometidos", sublinha o grupo, que diz estar a trabalhar para que a atividade retome a sua normalidade o mais breve possível.

Os laboratórios deverão reabrir na terça-feira no Porto e postos do Norte, mas em Lisboa provavelmente só na quarta-feira, disse entretanto à agência Lusa o responsável pelo grupo.

"Em Lisboa, talvez só na quarta-feira. Estamos a trabalhar com todas as equipas nesse sentido", disse o médico Germano de Sousa, repetindo que não foram afetadas as bases de dados com registos de informação de clientes, na sequência do ataque informático que infetou os sistemas de comunicação com um vírus.

Os danos infligidos no sistema afetaram a comunicação com os parceiros, hospitais e centros de análises, referiu Germano de Sousa, acrescentando que só reabrirão os laboratórios quando todas as intervenções estiverem concluídas em segurança.

Na sexta-feira, o administrador do grupo tinha dito à Lusa que os laboratórios de análises clínicas Germano de Sousa só voltariam a funcionar "em pleno" esta segunda-feira.

O Grupo Germano de Sousa adiantou na quinta-feira em comunicado que a sua equipa de cibersegurança está em estreita articulação com todas as autoridades competentes, nomeadamente, a Polícia Judiciária, a Comissão Nacional de Proteção de Dados] e o Centro Nacional de Cibersegurança.

Segundo o grupo Germano de Sousa, o ciberataque, ocorrido na madrugada de quinta-feira, foi "deliberado e criminoso com o objetivo de causar danos e perturbações à sua atividade e aos seus doentes", mas "não existe qualquer evidência" de que os dados dos seus doentes tenham sido comprometidos.

Afirma ainda no mesmo comunicado que "monitoriza continuamente a segurança da sua infraestrutura e dos seus sistemas de informação", tendo detetado de imediato o ataque informático e tomadas medidas técnicas de contenção de forma a garantir a proteção de todos os sistemas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG