Aeroportos. MAI informa que tempos de espera estão "normalizados"

Depois das queixas de filas e tempos de espera consideráveis, o MAI anunciou este domingo que a situação está agora de volta à regularidade, registando-se, inclusive, tempos de espera inferiores aos dois últimos anos pré-pandemia. Mas lembra: picos com muita afluência irão sempre originar esperas.

O Ministério da Administração Interna (MAI) anunciou este domingo que, depois de dias em que os tempos de espera foram superiores ao normal, a situação está agora "normalizada".

Em comunicado, o MAI explica que "tendo em conta as medidas" apresentadas no plano de contingência anunciado a 31 de maio (que incluem um reforço dos recursos humanos nos aeroportos, novas soluções tecnológicas e mais soluções operacionais), houve "uma substancial redução no tempo destinado ao controlo dos passageiros".

"O tempo registado de entrada no aeroporto de Lisboa correspondeu a uma média de 35 minutos", no dia de sábado, informa o MAI. Isto significa que é um tempo inferior ao registado em 2018 (que foi de 45 minutos) e em 2019 (de 1 hora e 6 minutos), naquele que foi o ano de recordes do turismo.

Segundo o comunicado enviado às redações, o MAI assegura que "se assistiu a uma normalização do funcionamento de entradas e saídas, sobretudo pelas medidas" de contingência. Além disso, explica, todas as boxes de controlo de passageiros (onde estiveram elementos do SEF e da PSP), "funcionaram, praticamente, todo o tempo", sobretudo em horas de maior fluxo de pessoas.

Apesar da normalização, o ministério explica que "com o reforço de agentes da PSP para dia 20 de junho, aliado às medidas imediatas [do plano de contingência], é de prever uma gestão regular do fluxo da chegada de passageiros ao aeroporto de Lisboa durante o verão, até ao limite de 1850 passageiros", mas relembra: "Picos superiores" a este número "darão sempre origem a algum tempo de espera, apesar das medidas de mitigação adotadas".

Até às 15.00 deste domingo, foram registadas 11 671 entradas de passageiros e 6801 saídas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG