A insustentável leveza do Clima

A aventura de ligar Cascais a Glasgow de forma sustentável foi bem conseguida. Desafio Climes to Go envolveu três equipas num total de 12 jovens.

Acordo de Paris: um acordo que nasce do estrondoso falhanço de Copenhaga, seis anos antes de ter visto a luz, e que precisou de se reinventar no seu conteúdo e na forma como foi explicado ao mundo. Como é possível acreditarmos que um acordo pode sobreviver somente na base da confiança mútua? Acreditando que há um bem maior que nos liga? Assim é o Acordo de Paris.

Os 196 países que em 2015 decidiram que valia a pena salvar o mundo, hoje [sábado], decidiram que, continua a valer a pena salvá-lo, contudo, o mundo, ainda aguenta um bocadinho mais a apneia.

Nas palavras de Milan Kundera , "Os amores são como os impérios: quando a ideia sobre a qual eles foram construídos desaparece, eles também perecem". E assim é o caso deste Acordo.

Como todos os amores, este surgiu cheio de esperança, com promessas de compromisso, dedicação e eternidade. E tal como acontece nas relações reais, irão existir momentos complicados e conquistas maravilhosas. Mas o amor só irá subsistir enquanto a crença e o respeito se mantiverem.

Se os países continuarem a fazer um phase down deste Acordo, se persistirem em negligenciar as regras tácitas que foram estabelecidas em 2015 e que definiram que este amor, apesar de jovem, iria crescer e seria duradouro, se isto continuar a acontecer, este Acordo morrerá e todos os que nele participam serão definitivamente phased out.

Isso não quer dizer que este novo amor deixe de existir, o amor foi implantado no coração de todos os cidadãos do mundo naquela noite de dezembro de 2015. Esse amor que foi propagado não se apagará mais. Os 12 jovens que saíram de de Cascais rumo à COP26 em Glasgow, na iniciativa Climes to Go, e que mostraram ao mundo que é possível viajar, alimentar-se e, de uma forma geral, viver com muito menos impacto no nosso planeta, recordaram-nos a nós e, principalmente, a todos os políticos e decisores que esta ideia e este amor são demasiado fortes para que possam algum dia morrer.

Poderá morrer a relevância de todos políticos que, se continuarem a adiar a ideia de salvar o nosso planeta, passarão a ser memórias antigas de um novo amor que evoluiu e que deixou de ser exclusivo de um casamento de 196 países e é agora um amor aberto a todos os cidadãos do mundo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG