Há tradições que não podemos mesmo perder: a receita deste queijo é uma delas

Desde tempos que já não há memória que as gentes das terras da Beira Baixa produzem, a partir do leite de ovelha e cabra, aquele que é não só um meio de subsistência, como também um petisco irresistível. Falamos do Queijo Amarelo da Beira Baixa DOP.

Haverá quem diga que este queijo é tão antigo como a nossa História. Afinal, a sua receita tem vindo a passar de geração em geração. Desde tempos imemoriais que, em serões em família na Beira Baixa, à lareira, os mais velhos transmitem aos mais novos a arte de bem fazer o típico queijo Amarelo.

Um saber ancestral que distingue este produto de Denominação de Origem Protegida (DOP), e que quem o produz respeita ao mais profundo do seu ser, como quem protege uma herança de família. É o caso da Queijaria Almeida, empresa familiar com raízes em Castelo Branco, produtora do Queijo Amarelo da Beira Baixa DOP Continente Seleção, que desde cedo encontrou no casamento entre a tradição e um rigoroso controlo de cada fase da produção do queijo o segredo para o sucesso - e para o sabor de que tanto gostamos.

Tudo começa nas verdejantes colinas de Castelo Branco, onde a Queijaria Almeida tem os seus rebanhos de ovelhas e cabras. É aqui que fazem o seu pastoreio e que nasce o leite que vai dar origem ao Queijo Amarelo da Beira Baixa DOP Continente Seleção. Só a partir de leite recolhido 100% de rebanhos que pastam na Beira Baixa é possível produzir um queijo de sabor puro, autêntico e genuíno, que quem prova reconhece de imediato a origem. Como o Queijo da Beira Baixa DOP Amarelo Continente Seleção não há igual em todo o país, e é por isso que a Queijaria Almeida se orgulha em manter esta tradição.

O Queijo Amarelo da Beira Baixa DOP Continente Seleção é um queijo curado, que se caracteriza por uma pasta semidura ou semimole, amarelada, com alguns "olhos" pequenos. A coagulação do leite cru de ovelha e cabra dá-se pela ação de uma infusão de flor do cardo. E é durante o seu período de maturação, cujo tempo mínimo é de 40 dias, que se desenvolve o aroma e sabor marcante, levemente acidulado, que o distingue.

Também a exigência na produção da Queijaria Almeida justifica a excelência do Queijo Amarelo da Beira Baixa DOP Continente Seleção. Um dos valores da empresa é a contínua aposta na modernização tecnológica da fábrica e dos seus procedimentos, garantindo assim o produto final de nível superior que a família Almeida procura levar ao mercado.

A preocupação na segurança alimentar é outra das prioridades da Queijaria Almeida. Há um rigoroso sistema de controlo ao longo de todo o processo produtivo (desde o pastoreio dos rebanhos à chegada do leite à fábrica, terminando no queijo), que garante que o Queijo Amarelo da Beira Baixa DOP Continente Seleção está nas melhores condições quando chega à mesa dos portugueses.

E qual a melhor forma de saborear este queijo, de modo a aperceber-se de cada uma das subtilezas do seu sabor? No pão, após a refeição, acompanhando com um vinho Contemporal Loureiro Vinho Verde DOC Branco, ambos são muito elegantes e aromáticos, pelo que casam maravilhosamente.

E agora, já confirmou que ainda tem Queijo Amarelo da Beira Baixa DOP Continente Seleção no frigorífico, pronto para terminar em beleza o próximo almoço de família?

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG