Avenidas Novas: a freguesia com projetos de requalificação que pensa nos seus fregueses

Viver numa freguesia que pense nos seus fregueses é o desejo de qualquer um. A Junta de Freguesia de Avenidas Novas pensa em todos e tem desenvolvido vários projetos de requalificação para oferecer os melhores espaços.

Todos somos diferentes e todos temos objetivos diferentes quando se fala de escolher uma casa. Há quem valorize apenas a casa em si, quem dê importância ao bairro onde estão inseridos, à sua localização, e ainda há quem valorize o trabalho feito pelas juntas de freguesia para desenvolver aquele local.

Porém, e apesar de ser uma escolha subjetiva, a realidade é que, na maioria, todos partilham o mesmo desejo: encontrar um local com zonas verdes, uma localização bem preservada e uma junta que pense nos seus fregueses.

A Junta de Freguesia de Avenidas Novas tem pensado no melhor para a freguesia. Assim, e no Âmbito da Nova Geração de Contratos de Delegação de Competências 2019-2021, cujo protocolo foi formalmente assinado entre a Câmara Municipal de Lisboa e a Junta de Freguesia de Avenidas Novas (JFAN), estão a realizar-se uma série de intervenções de requalificação de equipamentos, espaço público e espaços verdes da freguesia.

Antes de conhecer o que de melhor se tem feito nas intervenções de requalificação, é importante salientar o papel que as juntas de freguesia têm tido no apoio à pandemia. Como tal, esta Junta de Freguesia tem trabalhado na distribuição de refeições desde o início da pandemia, trabalhando de segunda a domingo.

Até ao momento estão 40 funcionários afetos ao projeto, foram entregues mais de 620.100 refeições a 530 beneficiários e mais de 7800 quilómetros percorridos, uma vez que a Junta de Freguesia faz entrega ao domicílio a 44 pessoas.

Voltando à requalificação dos espaços, são várias as empreitadas de reparação e requalificação que estão a ser desenvolvidas na JFAN para proporcionar uma vida melhor aos fregueses.

A requalificação do Jardim Amélia Carvalheira é um dos projetos da freguesia, onde se prevê a requalificação dos pavimentos existentes; implantação de parque canino, reforço da vegetação e da drenagem existente, substituição de elementos de iluminação existentes, entre outros trabalhos.

Ainda dentro dos espaços verdes, no Jardim Gomes de Amorim, conhecido como jardim da Casa da Moeda, a intervenção pretende dotar o espaço de melhores condições de estadia, usufruto e recreio, redistribuir os usos existentes e dotar o jardim de novos equipamentos.

Por outro lado, o Jardim Marquês de Marialva também vai ser requalificado, tendo uma localização central e privilegiada. Este jardim deve a sua génese à Praça de Touros do Campo Pequeno, onde agora se vai observar alguns dos seguintes trabalhos: substituição do pavimento; melhoramento das áreas ajardinadas; recuperação de mobiliário urbano; e parque canino.

A Praça Nuno Gonçalves vai ser alvo de uma requalificação, onde se prevê o alargamento da área pedonal; o aumento das áreas de circulação pedonal; criação de novas passadeiras de peões; eliminação das ilhas rodoviárias e plantação de novos exemplares arbóreos.

O Espaço de Jogo e Recreio do Jardim Marquês de Marialva também vai passar por uma requalificação. O objetivo da intervenção é proceder à requalificação deste espaço, incluindo boas condições de acessibilidade, através de equipamentos, e o desenvolvimento da temática do comércio e dos transportes com vias de circulação para que quem o visita sinta que está a percorrer uma cidade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG