Legionela em 8 perguntas (e 8 respostas)

Desde 2010 que as autoridades têm notado um aumento das notificações de casos de legionela.

A infeção, que é uma forma de pneumonia, tem tratamento, embora possa ser mais grave para alguns grupos de risco.

O que é a doença dos legionários?

É uma forma de pneumonia grave causada por uma bactéria chamada Legionella pneumophila. Desenvolve-se cerca de cinco a seis dias depois da infeção, podendo acontecer também de dois a dez dias.

Quais são os sintomas?

A doença inicia-se habitualmente com tosse seca, febre, arrepios, dor de cabeça, dores musculares e dificuldade respiratória, podendo também surgir dor abdominal e diarreia. São sintomas semelhantes a uma gripe e é diagnosticada pela identificação dos sintomas e com exames laboratoriais.

Como se contrai?

Através da inalação da bactéria Legionella presente em aerossóis e não pela ingestão de água. Os aerossóis são constituídos por gotículas de água que contêm as bactérias, geradas pela água corrente de torneiras ou chuveiros, autoclismos ou piscinas/spas ou torres de refrigeração de ar condicionado. A bactéria pode sobreviver e multiplicar-se a temperaturas entre 25º C e 42° C. Também pode ser encontrada em baixas concentrações em ambientes naturais, tais como rios, lagos e solos húmidos. Concentrações elevadas verificam-se em sistemas de água artificiais inadequadamente mantidos, nomeadamente torres de refrigeração.

Quantos casos existem em Portugal?

Neste momento, o surto já infetou 38 pessoas, provocando duas vítimas mortais. Entre 2005 e 2015, a doença causou em Portugal cem mortes, segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças. No período entre 2003 e 2013 (últimos dados disponíveis no site da Direção-Geral da Saúde), Portugal teve 962 casos de doença dos legionários. Destes, 89,6% foram confirmados e 7% eram casos prováveis. Desde 2010 que se registou um aumento dos casos confirmados. Em 2014 - já depois deste relatório - só em Vila Franca de Xira 375 pessoas terão sido infetadas pela bactéria. Deste surto, que também aconteceu em novembro, 12 doentes não sobreviveram.

Como se pode reduzir o risco de infeção?

O risco de doença dos legionários pode ser evitado com um programa de vigilância e manutenção das instalações e equipamentos que utilizem água e que são suscetíveis de poder conter a bactéria Legionella, tais como unidades industriais, balneários, hotéis e hospitais, entre outros.

Como é tratada?

A infeção, apesar de poder ser grave, tem tratamento efetivo. É tratada com antibióticos.

Qual é a população de risco?

A população que pode sentir efeitos mais graves da doença ou vir a contraí-la mais facilmente é constituída por pessoas com mais de 50 anos, com doenças crónicas e fumadores ou alcoólicos.

O que acontece quando é detetado um caso?

Sendo uma doença de declaração obrigatória, o delegado de saúde tem de iniciar uma investigação epidemiológica, que inclui a identificação de outras pessoas expostas e de possíveis riscos ambientais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG