Governo garante intervenções nas linhas do Norte e do Vouga

Os investimentos são para realizar até 2022, num valor que ascende a 23,8 milhões de euros

O gabinete do ministro do Planeamento e das Infraestruturas garantiu hoje que o troço da Linha do Norte, entre Ovar e Gaia, vai ser intervencionado no âmbito do Plano Ferrovia 2020.

"A modernização da Linha do Norte, no âmbito do plano Ferrovia 2020, integra várias renovações integrais de via (RIV), com substituição total de balastro, travessas e carris", duas das quais dizem respeito ao troço Ovar-Gaia.

Segundo fonte daquele gabinete, a renovação integral entre Valadares e Gaia "está em fase de projeto e prevê-se o lançamento para o concurso de empreitada até ao final do primeiro semestre de 2018".

No que respeita à intervenção entre Ovar e Espinho, "está em fase de contratação do projeto, prevendo-se que tal ocorra igualmente até a final do primeiro semestre de 2018".

"É muito importante que as RIV na mesma linha ocorram de forma desfasada no tempo, de forma a afetar o menos possível a circulação de comboios. Atualmente, está em curso uma RIV entre Alfarelos e Pampilhosa, que deverá esta concluída no segundo trimestre de 2018", salienta o esclarecimento ministerial.

Já quanto à recuperação da Linha do Vouga, reclamada hoje em comunicado pelo PSD, o gabinete do ministro garante que o atual Governo "considera que a Linha do Vouga presta um serviço relevante às populações, tendo mandato a Infraestruturas de Portugal para desenvolver um plano de investimento e manutenção, quer na linha quer no edificado de apoio aos passageiros".

Estão previstos investimentos a realizar até 2022, que ascendem a 23,8 milhões de euros, nas edificações, via, geotecnia, sinalização, e passagens de nível.

O esclarecimento recorda que era outra a intenção do governo anterior, que aprovou a "desativação, até ao final de 2011, do serviço de passageiros da linha do Vouga, sendo assegurada a mobilidade das populações através de concessões rodoviárias".

Os deputados do PSD eleitos por Aveiro exigiram do Governo uma "clarificação" quanto aos planos para a Linha do Vouga" e recordaram que "os partidos políticos foram unânimes na importância da melhoria das condições" daquela linha.

Numa pergunta dirigida ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, os deputados do PSD António Topa, Helga Correia e Bruno Coimbra aludiram a um estudo divulgado terça-feira que considerou aquela ferrovia como "uma das piores do país" e questionaram qual o montante a canalizar para manutenção dos troços Espinho-Oliveira de Azeméis e Aveiro-Sernada do Vouga.

Ler mais

Exclusivos