Alunos portugueses pioram resultados na leitura

Estudantes do quarto ano baixaram 11 posições, para o 30.º lugar entre 50 países, na compreensão da leitura

Os estudantes portugueses contrariaram a tendência recente para bons resultados em testes internacionais, baixando para o 30.º lugar entre 50 países nos testes PIRLS - Progress in International Reading Literacy Study, da OCDE.

Na edição anterior desta avaliação internacional Portugal figurava no 19.º lugar, tendo agora baixado para a segunda metade da tabela.

A quebra dos desempenhos das raparigas, geralmente mais bem sucedidas na compreensão da leitura, é a principal explicação para a descida does alunos do quarto ano que participaram nesta avaliação.

(Em atualização)

Ler mais

Exclusivos

Premium

JAIME NOGUEIRA PINTO

O arauto da revolta popular

Rejeição. Não é, por enquanto, senão isso. Não pelos reaccionários, pelos latifundiários, pelos generais golpistas, pelos fascistas declarados ou encapotados, mas pelo povo brasileiro, que vota agora contra a esquerda dita idealista - e notoriamente irrealista quanto à natureza humana (sobretudo à própria) - que montou um "mecanismo" de enriquecimento ilícito e de perpetuação no poder digno dos piores hábitos do coronelismo e do caciquismo que os seus antepassados ideológicos, de Josué de Castro a Celso Furtado, tanto criticaram. Um povo zangado, enganado, roubado, manipulado pelos fariseus da tolerância, dos direitos humanos e das flores de retórica do melhor dos mundos, pelos donos de tudo - do pensamento único aos recursos do Estado.