Empresas que não cumpram quotas de mulheres podem ser afastadas da bolsa

Governo reúne esta quarta-feira com parceiros sociais, propondo também que um em cada três dirigentes da Administração Pública seja do sexo feminino

Governo vai propor em concertação social que as empresas cotadas que a 1 de janeiro de 2018 não tenham 20% de administradores do sexo feminino tenham como sanção a "suspensão da cotação".

A proposta que o executivo vai defender, esta quarta-feira, na concertação social inspira-se numa diretiva europeia que não chegou a avançar. Esta prevê, contudo, que uma percentagem de administradores de empresas do sexo sub-representado seja de 20%, em 2018, e de 33%, em 2020.

Ao mesmo tempo, o governo deverá propor aos parceiros sociais que, em 2017, um em cada três dirigentes de cargos de topo e chefias intermédias da Administração Pública seja do sexo feminino. Em 2018, as medidas devem alargar-se às administrações das empresas do sector empresarial do Estado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG