Fact-checking. Desemprego, crescimento, investimento. Costa acertou nos números?

Verificação dos números citados por António Costa no discurso do Estado da Nação mostra que arredondou dados do investimento público por excesso

As 'fake news' estiveram ausentes do discurso feito esta sexta-feira no Parlamento pelo primeiro-ministro, no debate sobre o Estado da Nação, em matéria de dados económicos. E quando falharam, quase sempre foi por defeito.

Crescimento do investimento? António Costa disse ter sido de 9,1% em 2017, menos uma décima do que os 9,2% registados pela Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) da Assembleia da República.

Mais 11,2% no indicador das exportações e crescimento de 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017 foram citados com rigor, a exemplo da taxa de desemprego de 7,2% - mas em abril deste ano, porque era de 8,9% no final do ano passado.

Em relação ao número de desempregados, que António Costa disse serem "menos 250 mil", os dados oficiais indicam que a diferença entre o final de 2015 (quando o executivo tomou posse) e abril deste ano foi de 277,1 mil.

Em matéria de emprego, em que o primeiro-ministro afirmou terem sido "criados mais de 300 mil" postos de trabalho, as estatísticas referem apenas 298 mil - mas líquidos e excluindo o efeito da sazonalidade.

A exceção, onde António Costa arredondou os números para cima, foi no investimento público, onde referiu ter havido um crescimento de 22% - quando a UTAO regista 21,5%.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG