Guarda-redes americana acusa Blatter: "Apalpou o meu rabo"

Hope Solo, futebolista norte-americana, diz que o antigo presidente da FIFA a apalpou na cerimónia da Bola de Ouro de 2013. Há mais denúncias de assédio sexual no desporto, como a da ginasta Aly Raisman.

Hope Solo, ex-guarda-redes da seleção feminina de futebol dos EUA, acusa o antigo presidente da FIFA, Sepp Blatter, de a ter assediado sexualmente na cerimónia de atribuição da Bola de Ouro em 2013.

Em entrevista ao semanário Expresso, a jogadora, que esteve esta semana em Lisboa para participar na Web Summit, afirma que Blatt lhe "apalpou o rabo" durante a gala. O incidente aconteceu quando Solo e o presidente da FIFA esperavam para subir ao palco e entregarem juntos o prémio de jogadora feminina do ano à americana Abby Wambach". "É algo que se vulgarizou.

Contactado pelo jornal The Guardian, o porta-voz de Sepp Blatt negou o incidente, afirmando: "Essa alegação é ridícula".

Ao Expresso, a jogadora de 36 anos diz que o assédio sexual é comum no futebol: "Assisti a isso ao longo de toda a minha carreira e gostava que mais atletas partilhassem as suas experiências. É algo descontrolado, e não apenas em Hollywood. É-o em todo o lado. Durante anos, vi jogadoras que namoravam e acabaram por casar com os seus treinadores da universidade, algo que, obviamente, um treinador não devia fazer, sobretudo com futebolistas tão jovens. Vi situações com os médicos, com os assessores de imprensa, entre jogadoras no balneário...

Hope Solo não está sozinha nesta luta por fazer ouvir a sua voz. Num momento em que, em Hollywood, muitas mulheres decidiram falar abertamente sobre os momentos em que foram assediadas, das mais diversas formas, e em que, depois de Harvey Weinstein, todos os dias surgem acusações a atores, realizadores e produtores (da ator oscarizado Kevin Spacey ao humorista Louis C.K.), começam também a aparecer denúncias fora do meio do entretenimento.

No desporto, os casos mais falados têm sido na ginástica. Quase um mês depois de a campeã olímpica McKayla Maroney ter acusado publicamente Larry Nassar, médico da equipa de ginástica dos EUA durante mais de 20 anos, hoje foi a vez de Aly Raisman, ganhadora de seis medalhas olímpicas, revelar numa entrevista ao canal CBS que é uma das mais de 100 vítimas de Nassar.

Raisman, de 23 anos, diz que vai contar tudo no seu livro de memórias, Fierce, que será lançado nos Estados Unidos na próxima semana. A atleta também criticou a maneira como a Federação Americana de Ginástica (US Gymnastics) lidou com a situação e toda a cultura que permite que estas situações aconteçam: "O que é que Larry Nassar fez para que manipular estas raparigas para tivessem medo de falar? Estou muito zangada."

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Pessoas
Pub
Pub