Não é engano. Bono ganhou mesmo o prémio "Mulheres do ano"

Vocalista dos U2 é o primeiro homem, em 27 anos, a ser distinguido na categoria 'Mulheres do Ano' dos prémios que a revista 'Glamour' atribui anualmente

Pela primeira vez em 27 anos, um homem foi distinguido pela revista britânica Glamour na categoria das Mulheres do Ano. Na edição de 2016, Bono, o vocalista dos U2 pelo trabalho humanitário em prol da igualdade de género.

A publicação destaca, entre as iniciativas de Bono, a campanha Poverty is Sexist, que se destina a ajudar as mulheres mais pobres a ter acesso a alimentação, saúde e educação.

Em comunicado, a Glamour explicou a decisão de incluir um homem, pela primeira vez, nestes prémios. "Quando uma grande estrela do rock masculina, que poderia fazer tudo o que quisesse com a sua vida, decide focar-se nos direitos das mulheres e de raparigas em todo o mundo, então isso é motivo de celebração", lê-se.

O cantor irlandês mostrou-se surpreendido com a eleição. "Tenho a certeza de que não o mereço. Mas estou agradecido por este prémio e aproveito a oportunidade para dizer que a batalha pela igualdade de género nunca será ganha se os homens não lutarem por ela ao lado das mulheres. Somos largamente responsáveis pelo problema, por isso temos que estar envolvidos na solução", explicou Bono.

Outras das eleitas como Mulher do Ano 2016 pela Glamour foram a atleta olímpica Simone Biles, as três fundadoras do movimento Black Live Matters e Nadja Murad, nomeada para o Nobel da Paz, que foi sequestrada e vítima de abusos sexuais por extremistas do Estado Islâmico.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG