Três detidos após grupo de 28 pessoas causar "distúrbios" no aeroporto de Lisboa

A PSP deteve três homens, com idades entre os 25 e 27 anos, após "distúrbios" causados por um grupo de 28 pessoas. Pretendiam fazer o embarque antes da hora possível, informa a polícia.

A PSP anunciou esta quinta-feira a detenção de três homens por crimes contra a autoridade pública, na sequência de "distúrbios", no domingo, no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, com um grupo de 28 pessoas que pretendiam "embarcar mais cedo".

Fonte do Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública (COMETLIS) disse à Lusa que o grupo de passageiros pretendia fazer o embarque antes da hora possível, para um voo com destino a "um país africano", com partida de Lisboa "ao final do dia" de domingo.

O alerta para a ocorrência de "distúrbios" no aeroporto foi dado pelas 16:30 de domingo, envolvendo "um grupo de 28 pessoas", indicou fonte do COMETLIS, acrescentando que os passageiros foram informados da necessidade de abandonar a zona de embarque, mas três desobedeceram à ordem policial e foram detidos.

Os detidos, três homens, com idades entre os 25 e os 27 anos, são "suspeitos da prática de crime contra a autoridade pública", no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, e acabaram por não embarcar, adiantou a PSP, sem informação sobre se os restantes passageiros do grupo de 28 pessoas viajaram no voo de domingo.

Suspeitos dirigiram "ameaças" a funcionário de companhia de aviação

"Os suspeitos desobedeceram a uma ordem legítima comunicada pelos polícias da PSP para abandonar um local restrito do aeroporto internacional, que se rege por normas que salvaguardam a segurança aeroportuária", informou o COMETLIS, em comunicado.

Através da divisão de segurança aeroportuária do PSP, os três homens foram aconselhados a abandonar a zona de embarque, mas negaram-se a fazê-lo, pelo que lhes "foi dada a ordem legítima para que saíssem do local, tendo os mesmos persistido na conduta de desordem para com a companhia de aviação e os polícias", lê-se no documento.

Além disso, os suspeitos dirigiram "ameaças" ao funcionário da companhia de aviação.

Segundo o COMETLIS, o comportamento dos homens "foi o suficiente para alterar o normal funcionamento de alguns serviços" do aeroporto, "bem como causar alarme social e inquietação nos demais passageiros que transitavam ou aguardavam por viagem".

Segundo o COMETLIS, os três detidos foram presentes na Instância Criminal de Lisboa -- Secção de Pequena Criminalidade, do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, onde lhes foi marcada audiência de julgamento para 6 de janeiro de 2020.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG