Prisão preventiva para homicida de mulher encontrada numa mala em Arruda dos Vinhos

De acordo com a Polícia Judiciária o suspeito é um homem de 38 anos, companheiro da vítima, de 30, cujo corpo foi encontrado numa mala de viagem.

O Tribunal de Vila Franca de Xira aplicou esta sexta-feira prisão preventiva ao homem suspeito do homicídio da companheira, cujo corpo foi encontrado dentro de uma mala de viagem em Arruda dos Vinhos, revelou fonte judicial.

Após primeiro interrogatório judicial, o suspeito vai aguardar julgamento em prisão preventiva, disse fonte judicial à Lusa.

Na quarta-feira, o cadáver da mulher foi encontrado por um cidadão que passeava o cão, dentro de uma mala de viagem que estava num caminho pedonal de acesso à Urbanização Fonte do Ouro, em Arruda dos Vinhos, no distrito de Lisboa.

Na quinta-feira, a Polícia Judiciária (PJ) anunciou, em comunicado, ter identificado, localizado e detido o suspeito,um homem de 38 anos que era o companheiro da vítima, de 30 anos.

"A investigação apurou que o presumível autor, possivelmente motivado por questões de natureza passional, atingiu a vítima com um golpe letal de arma branca, desferido num quarto que ambos haviam arrendado, numa habitação em que, à altura dos factos, não se encontravam outras pessoas", explicou a PJ.

Após o crime, contou a PJ, o homem colocou o corpo numa mala de viagem que previamente adquirira e que "abandonou num local relativamente próximo, e preparou a sua saída da habitação, presumivelmente para se ausentar para o estrangeiro".

O homem foi localizado durante a noite num espaço de vegetação densa.

"A Polícia Judiciária recolheu e apreendeu relevante material de natureza probatória, o qual indicia, fortemente, o cometimento dos factos pelo arguido", é referido na nota.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.