Bactéria na água leva à segunda proibição de banhos no Algarve

Foram proibidos os banhos na praia do Alemão, em Portimão, o que acontece no Algarve pela segunda vez em 14 dias. O motivo é o mesmo: contaminação pela bactéria E.Coli, tal como aconteceu no dia 13 na praia de Faro. Autoridades não estabelecem para já uma relação.

A monitorização às águas das praias algarvias detetou uma contaminação pela bactéria E. Coli, coliformes fecais, o que levou à proibição de banhos esta terça-feira na praia do Barrancos de Canas, mais conhecida pela praia do Alemão, em Portimão.

A capitania do porto de Portimão mandou hastear a bandeira vermelha, esperando a Agência Portuguesa para o Ambiente (APA) que as novas análises, cujos resultados serão conhecidos amanhã de manhã, indiquem que a água esteja em condições para a prática balnear.

É a segunda vez em 15 dias que são detetados parâmetros elevados da bactéria E. Coli nas praias algarvias. A 13 de agosto estiveram proibidos os banhos na praia de Faro. O DN questionou a Agência Portuguesa para o Ambiente se haverá uma relação entre as duas situações - no espaço de 15 dias e numa distância de 70 Km -, tendo sido referido que para já não há conhecimento de que exista uma relação direta.

"Fizemos uma colheita e, perante a suspeita da presença da bactéria E. Coli e, por prevenção, interditámos a praia do Barrancos de Canas e repetimos as análises cujos resultados serão conhecidos amanhã de manhã. Estabelecer uma relação inequívoca entre as causas e os efeitos exige uma maior investigação", justifica a assessoria de imprensa da APA.

Quem não respeitar a bandeira vermelha incorre numa contraordenação e numa coima entre os 55 e os 250 euros.

A situação está a ser monitorizada em permanência pela Administração da Região Hidrográfica (ARH) do Algarve, organismo integrado na Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG