CPLP a solução futura do nosso crescimento

A CPLP é, sem qualquer dúvida, o espaço natural de desenvolvimento do mercado português. Contudo, quando foi criada, baseava-se em três pilares que lhe davam a forma, o objetivo e o caminho. A concertação político-diplomática, a cooperação e a promoção e a difusão da língua portuguesa eram as metas que se estabeleceram nessa altura e que serviram bem para criar este conceito.

Em 1996, com uma visão clara de que os países de língua portuguesa beneficiariam muito de ter uma voz comum a defender os seus interesses, era muito importante dar o pontapé de saída para este enorme projeto.

Passados estes anos de consolidação desta ideia, tornou-se óbvio que a CPLP não poderia cumprir a sua missão sem envolver dois novos aspetos essenciais à vida dos países e dos seus cidadãos, que são fundamentais ao desenvolvimento das sociedades que os compõem.

Uma comunidade nunca é uma verdadeira comunidade se os seus membros não tiverem iguais direitos de acesso à totalidade do seu espaço comunitário.
É fundamental conseguir instituir uma livre circulação de pessoas entre os países que compõem a CPLP, de forma a falarmos, de facto, de uma comunidade que se sente unida e que só nessas condições poderá defender interesses comuns.

Por outro lado, uma ideia de união que nos comprometa a todos a cooperar no sentido do desenvolvimento precisa de ter interesses comuns mais fortes do que os interesses individuais de cada um dos seus membros e isso só é possível introduzindo o pilar económico na sua estrutura.

A partir do momento em que se inclua a economia, com uma perspetiva muito clara de que todos podem contribuir para o desenvolvimento de cada um, então passaremos a encontrar muito mais pontos de convergência para as decisões conjuntas que precisamos de tomar se queremos vir a ser uma verdadeira comunidade.

A introdução deste pilar económico na estrutura da CPLP tem a vantagem de associar, aos intervenientes que desde o seu início acompanharam e acarinharam a formação desta organização, que maioritariamente seriam representantes do setor governativo dos Estados que a compõem, os representantes da iniciativa privada e das empresas. Estes têm sempre uma maior capacidade de intervenção direta nos mercados e nas suas gentes e verão nesta decisão a oportunidade de fazer crescer os seus mercados naturais para a dimensão total da CPLP que hoje engloba cerca de 260 milhões de pessoas.

Esta motivação dada aos empresários é claramente uma forma de fazer crescer o interesse de todas por um projeto que é querido a todos os países mas que sem estes nunca chegará verdadeiramente a atingir os seus objetivos.

A criação da Confederação Empresarial da CPLP foi um grande passo nesse sentido. E a cimeira que hoje se realiza em Malabo demonstrou com clareza como todos podemos ser úteis e retirar vantagens deste projeto que une os utilizadores da língua portuguesa num projeto comum de desenvolvimento.

O apoio dado pelos Estados representados neste evento, em alguns casos através dos seus mais altos representantes, foi inequívoco e em uníssono se ouviu com clareza as suas palavras de compromisso profundo com este caminho.

Neste mandato presidencial liderado por Cabo Verde foi dada força ao processo da livre circulação dentro do espaço de língua portuguesa, com um apoio inequívoco de Portugal. Na próxima presidência será promovido o pilar económico.

É fundamental que Portugal não perca esta oportunidade.

Para as empresas portuguesas e para o desenvolvimento da nossa economia é indispensável a promoção de dimensão dos mercados em que operamos e a promoção de mercados que nos deem vantagens competitivas para nos permitir continuar a crescer na concorrência com as grandes empresas internacionais.

Não nos podemos distrair com a Europa e esquecer o que mais nos pode ajudar.

Costa Silva, na sua estratégia, disse com muita clareza: sempre que nos virámos para a Europa definhámos e apenas crescemos quando nos virámos para o mar. A CPLP está no caminho e do lado do mar.

É fundamental caminhar por aí e cuidar daqueles que podem verdadeiramente ser a solução do nosso país!

bruno.bobone.dn@gmail.com

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG