Aeroporto de Madrid reabre após uma hora. Guardia Civil procura responsáveis

Voos de aparelhos não tripulados, e não autorizados, nas imediações do aeroporto de Barajas obrigaram a desviar 22 voos.

Eram 12:30 em Madrid, 11:30 em Portugal continental, quando foi anunciado que o espaço aéreo estava encerrado levando à suspensão de voos no aeroporto de Madrid, após ter sido detetada a presença de drones não autorizados nas suas imediações - 22 voos foram desviados.

Uma hora depois, cerca das 14:15 (menos uma hora em Portugal continental), o Ministério dos Transportes, Mobilidade e Agenda Urbana dava a situação como resolvida. O espaço aéreo do aeroporto de Barajas reabriu, como noticia o El Pais.

Foram as denúncias de vários pilotos que levaram a Agencia Estatal de Seguridade Aérea (AESA) a tomar a decisão de encerrar o espaço aéreo, comunicada através da sua conta no Twitter. "Voar drones nas proximidades do aeroporto é uma infração grave e as multas podem chegar aos 90 mil euros", alertavam.

A Enaire, o organismo oficial de controlo aéreo em Espanha, confirmou atrasos no aeroporto de Barajas e o desvio de 26 voos - sete para Valencia, três para Barcelona, dois para Alicante, dois para Valladolid e três para Saragoça. Outros voos não puderam descolar da pista.

A Guardia Civil montou um dispositivo especial nos arredores do aeroporto da capital espanhola para localizar os responsáveis pelos voos de drones.

[Notícia atualizada às 13:31 com a reabertura do espaço aéreo do aeroporto de Barajas]

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG