Trump levanta sanções contra a Turquia

O presidente dos EUA anunciou que vai levantar as sanções contra a Turquia depois de Ancara ter declarado que iria tornar "permanente" o cessar-fogo na Síria.

"As sanções [contra a Turquia] vão ser levantadas, a não ser que algo aconteça com o qual não estamos de acordo", afirmou esta quarta-feira Donald Trump. O presidente dos EUA justificou esta decisão ao afirmar que Ancara lhe garantiu que iria tornar "permanente" o cessar-fogo, inicialmente acordado para cinco dias, no nordeste da Síria.

A 14 de outubro, Trump reagiu à incursão da Turquia na Síria ao declarar sanções contra o país liderado por Erdogan, que incluíam, entre outras medidas, um aumento das tarifas sobre o aço turco para 50%. A decisão surgiu depois do início do ataque dos turcos aos curdos na Síria, aliados dos EUA no combate ao Estado Islâmico, na sequência da retirada das tropas norte-americanas no nordeste da Síria.

Em Washington, Trump afirmou que o cessar-fogo permitiu salvar "inúmeras vidas" de curdos. Foi o "resultado da nossa negociação com a Turquia, alcançado sem que uma gota de sangue americano fosse derramado: sem feridos, não há ninguém baleado, ninguém morreu", congratulou-se o presidente dos EUA.

Na conferência de imprensa, na qual não permitiu perguntas dos jornalistas, Donald Trump afirmou que "um pequeno número" de tropas norte-americanas vão permanecer no território para proteger as reservas de petróleo.

Recordou que os EUA estão a sair da Síria, depois de um período de quase 10 anos na região, quando, segundo afirmou, só deveriam ter ficado 30 dias. Trump defendeu que devem ser agora outros a lutar neste "longo e sangrento conflito".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG