Temperaturas recorde e vento forte agravam fogos na Austrália

O inferno dos fogos no maior país do hemisfério sul continua longe de poder vir a ser dado como controlado.

O dia de sábado foi um dos piores desta terrível época de incêndios na Austrália: calor escaldante, vegetação seca e ventos fortes que superaram os 100 quilómetros por hora. Foi o dia mais quente já registado na região metropolitana de Sydney, com a cidade de Penrith atingindo 48,9º graus, de acordo com o Australian Bureau of Meteorology - e batendo assim o recorde que pertencia a Richmond, com 47,8º em 1939. Este foi o local mais quente do planeta neste sábado.

A capital nacional, Canberra, estabeleceu um novo recorde com uma temperatura de 44º pouco depois das 16.00. Só a partir das 19.00 é a que a temperatura desceu abaixo dos 40 graus. O anterior recorde de temperatura na cidade era de 42,2 graus, que tinham sido registados no aeroporto de Canberra a 1 de fevereiro de 1968.

"Em vários locais na região ocidental da Austrália a temperatura subiu acima dos 45º e em muitos outros acima dos 40º", afirmou Jane Golding, do Instituto Meteorológico. Além do calor habitual nesta época do ano, os incêndios são também responsáveis pela subida da temperatura.

Outro problema tem sido o vento que, na região de Victoria, não permitiu a utilização de helicópteros. Segundo aquela responsável os ventos quentes e secos do noroeste aumentaram no sábado e estenderam-se ao longo da costa.

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, anunciou ter convocado 3 mil militares na reserva para reforçar o combate aos incêndios que estão a devastar o país. Scott Morrison indicou também que mais duas pessoas morreram esta sexta-feira na sequência dos incêndios, elevando para 23 o número de mortos desde setembro. As mortes ocorreram na ilha Kangaroo, a 112 quilómetros de Adelaide, no estado da Austrália do Sul, onde arderam 100 mil hectares, a maioria no Flinders Chase National Park, onde vivem cerca de 60 mil cangurus e 50 mil coalas.

Já durante o dia de sábado, surgiu a notícia de mais uma morte relacionada com os incêndios: um homem de 47 anos morreu com um ataque cardíaco enquanto tentava defender a sua casa das chamas, na região de Batlow.

Além de mais quente, Canberra é também um dos locais mais poluídos da Austrália devido ao fumo dos incêndios:

Neste momento mais de 150 incêndios estão a arder em Nova Gales do Sul e pelo menos metade estão ainda por controlar. No estado de Vitória, onde milhares de pessoas já fugiram das áreas ameaçadas, um total de 48 incêndios arderam em quase 320 mil hectares. Esta época de incêndios florestais na Austrália já queimou cerca de cinco milhões de hectares e destruiu mais de 1 400 casas.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG