Sismo de magnitude 7.7 atinge Cuba e Jamaica. Não há risco de tsunami

Serviço Geológico dos EUA alertou que era possível ocorrer ondas de tsunami no mar do Caribe mas entretanto já foi retirado o aviso.

Um terramoto de magnitude 7,7 atingiu o sul de Cuba e o noroeste da Jamaica, anunciou o Serviço Geológico dos EUA. Não há notícias de vítimas e o risco de tsunami, com alertas a serem lançados logo após o sismo, parece ser baixo ou nulo. Uma hora depois, o Centro de Alerta de Tsunami do Pacífico, com sede no Havai, EUA, sossegou as populações do Caribe. "Com base em todas as informações disponíveis, a ameaça de tsunami deste terramoto passou e não há ameaças adicionais", informou o órgão, que havia alertado previamente sobre a "possibilidade de perigosas ondas de tsunami para a costa situada dentro dos 300 quilómetros do epicentro do terramoto"

O sismo ocorreu às 14.10 locais (19.10 em Lisboa) de terça-feira, com o epicentro a ocorrer a 10 quilómetros de profundidade, a uma distância de 180 km da costa jamaicana de Lucea.

Não há, para já, registo de vítimas.

O Centro de Alerta de Tsunami disse que era possível haver ondas até 5 metros de altura ao longo das costas de Belize, Cuba, Honduras, México, Jamaica e Ilhas Cayman. Mais tarde, informou que era improvável haver tsunami.

O presidente da Câmara de Kingston, capital da Jamaica, recorreu ao Twitter para apelar à calma e esclareceu que, apesar de haver risco de tsunami, o nível de ameaça é baixo já que a movimentação de placas foi na horizontal. Apenas deixou conselhos às pessoas.

Há relatos generalizados de pessoas que sentiram o tremor de terra em toda a Jamaica e Cuba, onde escolas e edifícios foram evacuados. Até em lugares mais distantes como Miami, nos EUA, o sismo foi sentido.

Em Cuba, o forte tremor foi sentido em várias províncias e provocou a retirada de pessoas de edifícios de Havana, onde não foram registados danos. "O terramoto foi notado em várias províncias, como Guantánamo, Santiago de Cuba, Holguín, Las Tunas (leste), Cienfuegos (centro), Havana, Pinar del Río e o município especial da Ilha da Juventude (oeste), segundo registos dos habitantes nas redes sociais, afirmou o site Cubadebate.

Na capital cubana, o sismo foi percetível em vários prédios da cidade, que foram imediatamente evacuados, inclusive aqueles onde ficam localizados os escritórios da AFP e de outras agências de notícias estrangeiras.

Em Kingston, capital da Jamaica, muitos cidadãos relataram que sentiram o sismo, pelo menos, durante um minuto.

Claude Diedrick, 71 anos, dono de um negócio de esgrima em Montego Bay, cerca de 138 quilómetros a sudeste do epicentro, disse que estava sentado no seu carro, a ler, quando a terra começou a tremer. "Parecia que estava numa ponte, era como se houvesse dois ou três camiões muito pesados e a ponte estivesse a balançar. Mas não havia camiões", disse.

Diedrick disse que não tinha visto nenhum dano grave na área.

Houve forte agitação em Santiago, a maior cidade do leste de Cuba. "Estávamos todos sentados e sentimos as cadeiras a mexerem-se", disse Belkis Guerrero, que trabalha num centro cultural católico no coração de Santiago. "Ouvimos o barulho de tudo a mover-se."

Guerrero disse que não houve danos aparentes no centro da cidade. "Foi muito forte, mas parece que nada aconteceu", disse.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG