São pássaros? É um drone? O que disparou o alarme na Casa Branca

Fontes ouvidas pela CNN falam na possibilidade de o alerta ter sido provocado por um drone, um bando de pássaros ou uma anomalia meteorológica.

O acesso à Casa Branca, a residência oficial do Presidente dos Estados Unidos, em Washington, foi restringido esta terça-feira. A força área mobilizou caças e fechou o espaço aéreo em redor da residência por ter sido detetada atividade não identificada - uma possível aeronave -, mas afinal pode ter sido simplesmente um bando de pássaros, segundo a CNN.

"Um sinal foi emitido no nosso radar", explicou o comandante Andrew Hennessy, porta-voz do Comando norte-americano de Defesa Aeroespacial (NORAD). Mas quando uma equipa do NORAD se deslocou ao local, não encontrou nada. Horas mais tarde, as forças de segurança do país declararam que não havia risco nenhum, mas que não era conhecida a causa do incidente. No entanto, à CNN, fonte do ministério da defesa colocou três hipóteses para o motivo de alarme: drones, uma anomalia atmosférica ou um drone.

Também um funcionário da Casa Branca admitiu a possibilidade de ter sido detetado um drone, quando as buscas não revelaram outra ameaça. E uma gravação áudio do controlo de tráfico, analisado pela cadeia televisiva norte-americana, relata ter sido visto um bando de pássaros. "Um operador de radar treinado deve ser capaz de diferenciar um bando de pássaros de uma aeronave, mas é um erro bastante comum", indica o ex-coronel da Força Área Cedric Leighton.

A polícia do Capitólio dos Estados Unidos afirmou, esta terça-feira, que o acesso aos edifícios da Casa Branca e do Capitólio foi restringido, durante cerca de 45 minutos, após o relato de uma possível aeronave. A vigilância do espaço aéreo da Casa Branca endureceu depois do atentado do 11 de setembro de 2001, em Nova Iorque.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG