Protesto catalão chega ao País Basco. Manifestantes cortam via de acesso a Bilbau

O protesto é o segundo organizado neste dia em Bilbau

Um grupo de manifestantes que protestava contra a condenação de independentistas da Catalunha cortou um acesso rodoviário a Bilbau, no País Basco, que é uma das vias mais utilizadas para entrar e sair da capital da Biscaia.

Segundo as autoridades locais, o protesto começou cerca das 17:30 locais (16:30 em Lisboa), numa importante avenida de Bilbau, e várias dezenas de pessoas sentaram-se no chão interrompendo o tráfego nos dois sentidos.

A polícia basca, que enviou vários carros patrulha para o local, identificou alguns dos organizadores do protesto e tentou dispersar os manifestantes, sem êxito.

Unidades da polícia antimotim lançaram então uma carga sobre os manifestantes, sem contudo conseguir eliminar bloqueio.

O protesto é o segundo organizado esta sexta-feira em Bilbau, depois de, ao princípio da tarde, um grupo de jovens com cartazes pela autodeterminação do País Basco e da Catalunha terem bloqueado a entrada de uma dependência bancária no centro da capital.

As manifestações inserem-se numa mobilização, centrada em Barcelona, na Catalunha, contra a condenação a penas de prisão entre os 9 e os 13 anos de 12 políticos independentistas catalães.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.