Polícia e migrantes em confrontos na fronteira entre Turquia e Grécia. "O acordo está morto"

União Europeia anunciou aos refugiados que as suas portas estão fechadas. Migrantes pedem para viver em paz e em liberdade

Novos confrontos ocorreram na fronteira entre a Grécia e a Turquia entre migrantes, que atiraram pedras, e policias gregos, que responderam com bombas de gás lacrimogéneo, ao mesmo tempo que a União Europeia anunciou aos refugiados que as suas portas estão fechadas e o primeiro-ministro grego afirmou que o acordo entre a UE e a Turquia sobre refugiados e migrantes está "morto".

O acordo limitava desde 2016 o afluxo de migrantes e refugiados à Europa. "Agora, sejamos honestos, o acordo está morto", disse o primeiro-ministro, Kyriakos Mitsotakis, à cadeia televisiva CNN, acrescentando: "E ele morreu porque a Turquia decidiu violar completamente o acordo, por causa do que aconteceu na Síria", referiu, acusando Ancara de "promover" a corrida de milhares de pessoas para a fronteira greco-turca.

Esta sexta-feira, após os confrontos com a polícia, centenas de migrantes reuniram-se junto ao posto fronteiriço de Pazarkule (chamado de Kastanies, do lado grego), gritando "liberdade", "paz" e "abram as portas", segundo o relato de um fotógrafo da AFP.

Alguns ficavam em frente às cercas com arame farpado, onde gritavam: "Queremos viver em paz".

"Queremos apenas uma vida melhor, uma melhor situação, viver em liberdade", conta à AFP o iraniano Amir Masud, que protegia o rosto com uma máscara para se proteger do gás lacrimogéneo.

A 28 de fevereiro, após o anúncio do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, sobre a abertura das suas fronteiras em direção ao território europeu, milhares de migrantes seguiram em direção à Grécia, o que reviveu a crise migratória de 2015.

Erdogan conversou com a chanceler alemã, Angela Merkel, nesta sexta-feira. Merkel esteve à frente das negociações que culminaram no polémico acordo, em 2016, no qual a Turquia se comprometia a impedir o trajeto de migrantes em situação ilegal à Grécia em troca de ajuda financeira.

Na conversa, Erdogan "indicou que os mecanismos existentes entre a UE e a Turquia em relação às migrações não funcionam e devem ser reexaminados".

A UE enviou nesta sexta-feira uma mensagem aos migrantes para tentar convencê-los a não ir para a fronteira greco-turca. "Quero enviar uma mensagem clara: não vão à fronteira. A fronteira não está aberta", declarou o chefe da Diplomacia europeia, Josep Borrell, após uma reunião dos ministros das Relações Exteriores dos países membros, em Zagreb.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG