Pete Buttigieg desiste da corrida à Casa Branca

O ex-mayor de South Bend suspendeu a candidatura depois de ter ficado em quarto lugar nas primárias de sábado na Carolina do Sul

Depois de vencer os caucus do Iowa e dos bons resultados nas primárias do New Hampshire e Nevada, Pete Buttigieg ficou em quarto lugar na Carolina do Sul. Agora, a dois dias da Super Terça-Feira, o dia em que 14 estados norte-americanos vão às urnas para escolher o candidato democrata que querem ver defrontar Donald Trump nas presidenciais de 3 de novembro, o ex-mayor de South Bend, no Indiana, desistiu da corrida.

"Ele acredita que esta é a coisa certa a fazer agora, para que o nosso país cure esta nação dividida e derrote o presidente Trump", disse um assessor do ex-candidato. O ex-mayor "decidiu que agora era a hora", acrescenta.

Com a desistência de Buttigieg, seis candidatos mantêm-se na luta para assegurar a nomeação democrata: Joe Biden, Bernie Sanders, Mike Bloomberg, Elisabeth Warren, Amy Klobuchar e Tulsi Gabbard.

Trump já veio comentar a decisão de Buttigieg no Twitter, afirmando que esta desistência beneficia Joe Biden. "Todos os seus votos na Super Terça-Feira vão para o dorminhoco Joe Biden. Ótimo momento. Este é o verdadeiro início do afastamento de Bernie [Sanders] pelos Democratas. Sem nomeação, outra vez!", escreveu Trump na sua rede social favorita.

Aos 38 anos, Buttigieg já fez história ao tornar-se no primeiro gay assumido a candidatar-se à Casa Branca. Com a sua fé, o passado militar e o discurso de mudança geracional, o filho de um imigrante maltêsdesafiou os argumentos dos republicanos e baralhou a corrida democrata.

Nascido em South Bend, filho de uma americana e de um maltês que antes de trocar a ilha do Mediterrâneo pela América estudou para padre jesuíta, Pete Buttigieg ganhou, com um ensaio escrito ainda no liceu, o prémio Perfis de Coragem, entregues anualmente em Boston em homenagem ao autor do livro homónimo, o presidente John F. Kennedy. Foi nessa altura, em 2000, que conheceu a filha de JFK, Caroline, com um trabalho sobre a coragem mostrada por... Bernie Sanders, enquanto senador independente.

Formado em Harvard e Oxford, Buttigieg trabalhou como estagiário e mais tarde como assessor e conselheiro para vários políticos em Washington, antes de, em 2014, ser enviado para o Afeganistão como oficial dos serviços secretos na Marinha americana.

Mayor de South Bend desde 2011, Buttigieg garante que a religião tem um papel determinante na sua vida. Criado como católico, já em adulto passou a frequentar a igreja episcopal. Bastante vocal sobre a sua fé, Buttigieg desafia a direita religiosa no seu próprio terreno. Convencido de que os democratas deixaram para os republicanos a discussão sobre a espiritualidade, o mayor não teme falar de religião e do papel que esta assume na sua vida: como quando confrontou o vice-presidente Mike Pence com o seu casamento com Chasten Glezman.

Durante a campanham, Buttigieg surgiu inúmeras vezes com o marido ao lado, tendo ambos sido capa da revista Time e tendo habituado o eleitorado americano a beijarem-se em palco.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG