Pentágono. Mais de 30 soldados dos EUA ficaram com lesões cerebrais após ataque iraniano

Donald Trump afirmou que os EUA não tiveram baixas na sequência do ataque iraniano a bases militares no Iraque, onde estão posicionadas tropas norte-americanas.

São 34 os soldados que foram diagnosticados com lesões cerebrais traumáticas ou concussão, na sequência do ataque do Irão a bases militares no Iraque, onde estão posicionadas forças norte-americanas. A informação foi revelada esta sexta-feira pelo porta-voz do Pentágono, Jonathan Hoffman, citado pelo The Guardian.

Hoffman adiantou ainda que dos 34 soldados, 17 estão a ser tratados, oito dos quais tinham sido transferidos para a Alemanha, tendo regressado aos EUA. Nove feridos ainda se mantêm na Alemanha em observação.

Segundo o Pentágono, os sintomas de ferimentos não foram relatados logo após o ataque, tendo sido conhecidos apenas alguns dias depois.

O presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou que os EUA não tinham sofrido nenhuma baixa devido ao ataque iraniano.

Mais tarde, o comando central das forças armadas dos EUA afirmou que 11 soldados ficaram feridos devido à ação militar do Irão, em retaliação à morte do general iraniano Qassem Soleimani, resultante do ataque por drone, ordenado por Trump.

No início desta semana, o presidente dos EUA desvalorizou as lesões dos soldados norte-americanos que estavam na base militar atacada por Teerão. "Ouvi dizer que eles tinham dores de cabeça e algumas outras coisas, mas não é muito grave", afirmou Trump quando questionado por jornalistas no Fórum Económico de Davos, na Suíça.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG