Cazaquistão: Queda de avião faz 12 mortos. "Parecia um filme"

O avião da companhia aérea Bek Air, um Fokker 100, começou a perder altitude momentos após a descolagem no aeroporto de Almaty, a maior cidade do Cazaquistão. Seguiam a bordo entre 98 a 100 pessoas

A queda do avião da companhia aérea Bek Air fez esta sexta-feira 12 mortos e dezenas de feridos, afirmaram as autoridades do Cazaquistão. Inicialmente, o departamento de saúde de Almaty, onde o aparelho caiu, indicava que pelo menos 15 pessoas tinham morrido.

O avião da companhia aérea Bek Air, um Fokker 100, seguia para Nursultan, a capital do país. Perdeu altitude às 07:22 (01:22 em Lisboa), momentos após a descolagem de Almaty, a maior cidade do Cazaquistão.

A bordo haveria 98 a 100 pessoas, entre as quais cinco membros da tripulação, segundo números divergentes divulgados pelo comité de situações de emergência e o primeiro-ministro. De acordo com o Ministério da Saúde, 53 pessoas estão hospitalizadas, incluindo nove crianças. Dez adultos estão em estado "extremamente grave".

Uma sobrevivente do acidente, citada pela Reuters, contou que ouviu um "som terrível" antes de o avião começar a perder altitude. "Estava a voar com uma inclinação. Tudo parecia um filme: havia pessoas a gritar, a chorar", recordou ao site Tengrinews.

"A partir duma determinada altura começamos a cair, não na vertical mas com ângulo. Parecia que tinham perdido controlo do avião", relata sobrevivente Aslan Nazaraliyev ao jornal Vremya.

Avião colidiu com um edifico de dois andares

Numa mensagem de condolências na rede social Twitter, o presidente do país, Kassym-Jomart Tokayev, garantiu que "os responsáveis serão punidos severamente de acordo com a lei".

O Ministério dos Transportes da antiga república soviética informou que o avião da Bek Air perdeu "altitude na descolagem e atingiu um muro de cimento [e] colidiu com um edifício de dois pisos", uma casa de dois andares que ficou parcialmente destruída.

Aos jornalistas, o vice-primeiro-ministro Roman Sklyar afirmou que "antes de se despenhar, o aparelho tocou duas vezes na pista com a cauda". O governante afirmou ainda que uma comissão vai estabelecer se se tratou de um erro do piloto ou de problemas técnicos.

O governo do Cazaquistão afirmou que o avião foi produzido em 1996 e que o seu último certificado de voo é de maio de 2019.

O Ministério da Indústria e Infraestruturas do Cazaquistão determinou a suspensão de todos os voos do modelo Fokker 100 até que sejam esclarecidas as causas do acidente.

Num comunicado na sua página do Facebook, o aeroporto disse que não houve incêndio e que uma operação de socorro começou imediatamente após o acidente. Imagens do local do acidente mostram uma parte do avião destruído junto a uma casa esventrada e outra parte num campo perto do aeroporto.

em atualização

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG