Netanyahu e Gantz chegam a acordo para governo de união nacional em Israel

Os dois líderes políticos anunciaram que se entenderam para um governo de emergência e evitar assim que Israel fosse novamente para eleições.

O primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu e o seu ex-rival político Benny Gantz anunciaram esta segunda-feira a formação de um governo de unidade e emergência nacional, de forma a encerrar a maior crise política da história de Israel que ocorreu durante a pandemia de Covid-19.

"Um acordo para a formação de um governo nacional de emergência foi assinado" por Netanyahu, chefe do Likud, e Gantz, líder do partido Azul e Branco, informaram as duas formações políticas. Os dois líderes devem exercer o cargo de primeiro-ministro de forma rotativa.

Netanyahu escreveu logo depois no Twitter que havia acordo: "Prometi ao Estado de Israel um governo nacional de emergência que trabalharia para salvar vidas e meios de subsistência dos cidadãos israelistas. Vou continuar a fazer tudo por vocês, cidadãos de Israel", lê-se num tweet escrito em hebraico, publicado após ter divulgado um outro com a bandeira nacional de Israel.

Benny Gantz, também no Twitter, alinhou pelo mesmo tom: "Evitamos as quartas eleições. Vamos manter a democracia. Lutando contra o coronavírus e cuidando de todos os cidadãos israelitas. Existe um governo nacional de emergência", lê-se.

Após as eleições de 2 de março, as terceiras em que Gantz e Netanyahu se enfrentaram em menos de um ano, o presidente Reuven Rivlin confiou ao político do centro, de Gantz, a tarefa de formar um governo.

Mas Gantz optou por formar um governo de "união e emergência" com Netanyahu, o que causou descontentamento entre os apoiantes da oposição, que ainda este domingo se manifestaram.

Na capital, Tel-Aviv, os manifestantes exibiram o seu descontentamento por Netanyahu ir continuar no governo, e conseguiram manter as distâncias impostas pelo confinamento devido à covid-19.

Mas, após várias tentativas de acordo entre os dois partidos, parece agora ser seguro que há um entendimento para um novo governo com Netanayahu e Gantz como líderes.

Esta segunda-feira à noite era o prazo para Gantz e Netanyahu chegarem a um acordo e, caso isso não acontecesse, o presidente Rivlin já tinha pedido ao Parlamento que propusesse o nome de um deputado que tivesse apoio suficiente, dentro de três semanas, para formar governo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG