Motorista do camião com 39 migrantes mortos continuará sob custódia policial

Maurice Robinson tem 25 anos e é natural da Irlanda do Norte. É acusado de 39 crimes de homicídio involuntário, conspiração para o tráfico de pessoas e conspiração para o branqueamento de capitais obtidos através da imigração ilegal.

O motorista do camião encontrado em Inglaterra com 39 migrantes mortos, que no sábado foi formalmente acusado de homicídio involuntário, irá permanecer sob custódia até 25 de novembro, após ter comparecido hoje, pela primeira vez, diante de um tribunal.

Maurice Robinson, de 25 anos, natural da Irlanda do Norte, compareceu esta segunda-feira perante o tribunal de Chelmsford (cidade no condado de Essex, sudeste do Reino Unido), através de um sistema de videoconferência, para uma audiência preliminar.

A instância judicial decidiu manter Maurice Robinson sob custódia até ao próximo dia 25 de novembro, altura em que o suspeito irá declarar-se culpado ou inocente diante de um tribunal superior, neste caso diante do tribunal criminal londrino de Old Bailey.

Nesta primeira audiência preliminar, o motorista, acusado de 39 crimes de homicídio involuntário, conspiração para o tráfico de pessoas e conspiração para o branqueamento de capitais obtidos através da imigração ilegal, não se pronunciou e o seu advogado não pediu libertação sob fiança.

As autoridades britânicas descobriram na passada quarta-feira 39 migrantes mortos dentro de um camião frigorífico no parque industrial de Grays, junto ao porto de Essex, cerca de 30 quilómetros a leste de Londres.

O motorista foi detido pouco depois da descoberta que chocou a opinião pública britânica e internacional.

Outras quatro pessoas foram detidas por suspeita de envolvimento neste caso, mas foram, entretanto, libertadas sob fiança, anunciou no domingo a polícia.

A polícia britânica pensou inicialmente que as 39 pessoas (31 homens e oito mulheres) encontradas no interior do contentor do camião eram chinesas.

Mas, durante o fim de semana, várias famílias oriundas de províncias do centro do Vietname relataram o desaparecimento de familiares, suspeitando que estes terão tentado entrar clandestinamente no Reino Unido e que poderão constar entre os corpos encontrados no interior do camião.

Nesta segunda-feira, o primeiro-ministro britânico deslocou-se a Essex, onde prestou homenagem aos 39 migrantes encontrados sem vida num camião.

"A nação inteira e, de facto, o mundo ficaram chocados com essa tragédia e a crueldade do destino sofrido por pessoas inocentes que esperavam uma vida melhor", escreveu Boris Johnson no livro de condolências na autarquia de Thurrock. Garantiu ainda que o governo do Reino Unido vai fazer tudo o que estiver ao seu alcance para levar os responsáveis à justiça.

Johnson, aconpanhado pelo chefe da polícia de Essex, Ben-JulianHarrington, e pela secretária do Interior, Pritti Patel, depositou flores junto ao edifício do Conselho Thurrock, em Grays, como homenagem às 39 vítimas mortais.

Atualizado às 15:40

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG