Menino de 13 anos descobre tesouro viking

Depois da descoberta da criança, especialistas encontraram moedas e joias com mais de mil anos numa ilha do Mar Báltico. O tesouro remonta à época do rei de origem viking que levou o cristianismo à Dinamarca, Harald

Luca Malaschnichenko, de 13 anos, já pode contar ter o seu nome para sempre associado à arqueologia.

Em janeiro, o jovem, acompanhado por René Schön, voluntário de um programa local de arqueologia, e por um detetor de metais, fez uma descoberta incrível.

Na localidade agricola de Rügen, uma ilha do norte da Alemanha, banhada pelo Mar Báltico, o aparelho detetou qualquer coisa. Os jovens conseguiram extrair fragmentos de moedas da terra e imediatamente perceberam que tinham encontrado algo.

Imediatamente avisaram as autoridades, que tiveram de esperar até ao fim de semana passado para procederem às escavações necessárias para voltar a trazer à luz do dia um tesouro viking de mais de mil anos, da época do célebre rei dinamarquês Haroldo 1° da Dinamarca.

A descoberta incluí moedas de prata, pérolas, colares, alfinetes de peito e até mesmo um martelo de Thor, do final do século X.

Detlef Jantzen, o arqueólogo chefe do Escritório Regional de Arqueologia e Conservação de Monumentos do estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, o qual levou a cabo os trabalhos, disse ao jonal espanhol El País que este "é um tesouro excepcional. Esta é a primeira vez que encontramos um achado dest grandeza e qualidade a sul do Báltico".

As peças do século XX terão sido enterradas entre 980 e 990.

O rei Harald morreu em 986 no norte da Europa, deixando para trás um tesouro enterrado e um legado muito particular que chegou aos nossos dias em forma de homenagem: a tecnologia bluetooth.

Exclusivos