Mais de 57 mil deixaram oeste de Mossul desde 19 de fevereiro

Números são do Ministério das Migrações iraquiano

Mais de 57.000 civis abandonaram a parte ocidental de Mossul (norte do Iraque) desde o início da ofensiva das forças iraquianas a esta zona da cidade, informou hoje o Ministério das Migrações iraquiano.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) tinha revelado antes que mais de 45.000 pessoas fugiram das suas casas desde 19 de fevereiro, quando começou a ofensiva para reconquistar a parte oeste de Mossul aos 'jihadistas' do grupo Estado Islâmico.

Num comunicado, o ministro das Migrações, Jassim Mohammed Al-Jaaf, adianta que os deslocados receberam ajuda e que exército, polícia e outros parceiros colaboram para "prestar o melhor serviço aos deslocados e aliviar o seu sofrimento.

Al-Jaaf indica ainda que o Governo está preparado para receber 100.000 deslocados nos campos de acolhimento existentes.

Segundo o ministro, 286.000 pessoas foram obrigadas a fugir desde o início, em outubro, da grande campanha militar para expulsar o grupo extremista Estado Islâmico de Mossul, a segunda cidade iraquiana, e de outras localidades no norte do Iraque.

Exclusivos