Isabel dos Santos ataca Rui Pinto no Twitter

Empresária angolana diz que hacker é "um mero curioso que vive de fofocas"

Isabel dos Santos atacou este domingo Rui Pinto através do Twitter.

"Engraçado Rui Pinto estar a fazer estas perguntas sobre "torre bela". Pensei que fosse um hacker com 715 mil documentos e provas. Pelos vistos é um mero curioso que vive de fofocas. E é verdade que lhe vão pagar salário como funcionário público e dar casa?", escreveu a empresária angolana naquela rede social.

Esta publicação surge em resposta a um tweet de Rui Pinto, que sugeriu que a família Dos Santos fosse a proprietária de "uma das maiores propriedades muradas da Europa".

"Será a família dos Santos a real proprietária de uma das maiores propriedades muradas da Europa? Juntamente com cerca de uma dezena de outras propriedades na zona do Oeste?", questionou o hacker.

Rui Pinto estava a referir-se à Torre Bela, uma antiga propriedade do Duque de Lafões, no Ribatejo, que foi ocupada na altura do 25 de abril e alvo de um documentário do alemão Thomas Harlan. Nesse documentário é levantada a possibilidade de a propriedade ter sido comprada por José Eduardo dos Santos, ex-presidente de Angola e pai de Isabel dos Santos.

Na segunda-feira, a Polícia Judiciária esclareceu que não contratou Rui Pinto, e que este tem apenas o estatutos de arguido e testemunha protegida ao abrigo do programa de proteção de testemunhas.

"A propósito de notícias publicadas na comunicação social, segundo as quais o arguido Rui Gonçalves Pinto terá sido contratado pela Polícia Judiciária, consideramos que devemos esclarecer o seguinte: não corresponde à verdade que Rui Pinto tenha sido contratado pela Polícia Judiciária, pelo que a PJ não paga, a Rui Pinto, qualquer vencimento", indica o comunicado oficial enviado às redações.

Acusado de 90 crimes, Rui Pinto viu as medidas de coação serem alteradas para termo de identidade e residência e apresentação semanal às autoridades (no caso à PJ).

Rui Pinto, que foi detido na Hungria em 2019, assumiu-se como o autor da divulgação das informações que deram origem ao Luanda Leaks, a envolver Isabel dos Santos, filha do ex-presidente de Angola, e como criador da plataforma FootballLeaks, que levou à justiça várias figuras do futebol.

A colaboração com a PJ foi o motivo avançado pela juíza para a libertação que no seu despacho cita uma confirmação por parte do "Exmo. Sr. Diretor do DCIAP, confirmar a colaboração efetiva do arguido [...], mais salientando que segundo a informação que recolheu acerca de diversas investigações em curso o arguido Rui Pinto tem demonstrado uma disponibilidade total e espontânea para o apuramento da verdade, respondendo, cabalmente, a todas as questões que lhe são colocadas".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG