Iraque vs. Arábia Saudita. Qual terá, afinal, o edifício mais alto do mundo?

Há uma guerra de altitudes no Médio Oriente. O Iraque projetou The Bride para ser o edifício mais alto do mundo, mas a Arábia Saudita já tem em construção a Jeddah Tower

Arábia Saudita e Iraque estão na corrida pelo edifício mais alto do mundo. No domingo, o governo saudita anunciou ter assegurado o financiamento para terminar a construção de um edifício com cerca de um quilómetro de altura: a Jeddah Tower. Mas, para espanto de muitos, o Iraque também quer entrar no mundo das construções exuberantes, tendo já apresentado o projeto The Bride, um arranha-céus de 230 andares com 1152 metros de altura. A ideia é construir uma cidade vertical que seja totalmente autossustentável. Ambos os projetos têm dimensões impressionantes, mas, por agora, o Dubai continua a ter a torre mais alta do mundo, a Burj Khalifa.

Em 2011, a Arábia Saudita anunciava a construção da gigante Kingdom Tower. Com 26 andares já construídos, deverá ser inaugurada em 2020, depois de a Jeddah Economic ter chegado a acordo com o Alinma Bank para o financiamento do projeto (mais de um bilião de euros). Situada em Gidá, a oeste de Meca, chegará aos 3280 pés (cerca de um quilómetro) e terá 200 andares com vista para o mar Vermelho. Para enfrentar a altura do prédio serão necessários 56 elevadores e 12 escadas rolantes.

Com o acordo conseguido, Mounib Hammoud, da Jeddah Economic, espera que o edifício se torne "um ícone, que atraia pessoas de todos os estratos da sociedade com serviços completos e uma multiplicidade de utilizações". Segundo a CNN, serão necessárias 80 mil toneladas de aço para erguer a estrutura. A construção de um edifício na zona costeira, explica, obriga a cuidados especiais, uma vez que a água salgada poderá danificar a estrutura. O impacto do vento também é um desafio, daí que tenha sido pensada uma forma aerodinâmica.

Projeto iraquiano pretende ser a primeira cidade vertical

Desenhado pela empresa Adrian Smith + Gordon Gill, a Jeddah Tower terá apartamentos, escritórios e um hotel de luxo. E no 157.º andar está previsto um terraço com cerca de 30 metros de diâmetro. A forma foi inspirada numa planta do deserto, da qual brotam folhas jovens.

O projeto é bastante arrojado, mas a concorrência é forte e está ali bem perto. Além do Dubai, atual detentor do recorde do Guinness, com um edifício de 828 metros de altura, agora é a vez de o Iraque querer afirmar-se entre os grandes com The Bride (A Noiva, em português). E se o plano se concretizar, a torre iraquiana, de 3780 pés (1152 metros) será mesmo a maior do mundo.

A construção deverá ficar localizada na cidade de Basra - particularmente rica em petróleo - e, segundo o site Business Insider, tem sido apelidada pelos arquitetos como a primeira "cidade vertical". The Bride deverá ter quatro torres de diferentes alturas interligadas entre si. E terá um véu que abrigará os seus "pés", onde há a pretensão de instalar um bairro.

Além de escritórios e hotéis, o projeto iraquiano contempla apartamentos, escolas, espaços de saúde e até uma rede ferroviária exclusiva para o complexo. Sim, uma autêntica cidade. E totalmente autossustentável, já que a ideia é aproveitar a luz do Sol para gerar toda a energia consumida pelo gigante.

Porquê criar a torre mais alta do mundo no meio do deserto?, questiona o Business Insider. Os arquitetos respondem: para preservar a terra fértil que o rodeia. Palco de guerra, Basra está a crescer economicamente e quer destacar-se nas construções, pelas mãos da empresa AMBS Architects, liderada por arquitetos internacionais, designers e engenheiros, com escritórios também em Londres e Bagdade.

A luta pelo prédio mais alto do mundo está renhida e o Dubai arrisca-se a ficar para trás. Burj Khalifa é, atualmente, o mais alto do planeta, seguindo-se a Shangai Tower, na China, com 632 metros. Em terceiro lugar está a Abraj Al-Bait Clock Tower, em Meca (601 metros), logo de seguida One World Trade Center, em Nova Iorque (540 metros).

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG