Tragédia de Suzano. Polícia vai prender terceiro suspeito

Um jovem de 17 anos é acusado de ter participado na fase de planeamento do massacre na escola e passado pela empresa de aluguer de carros onde os crimes começaram

A polícia obteve há instantes a autorização da justiça para prender um terceiro suspeito de participação no massacre na Escola Professor Raul Brasil, em Suzano, nos arredores de São Paulo. É um adolescente, de 17 anos, que foi colega na instituição de um dos autores dos crimes, Guilherme Taucci Monteiro. Segundo as autoridades, ele fez parte do planeamento da ação e esteve, com Guilherme e Luiz Castro, na empresa de aluguer de carros onde foi morto Jorge de Moraes, tio de Guilhereme e a primeira vítima da tragédia de terça-feira.

"Submetemos a fotografia do adolescente aos donos do estabelecimento para confirmar", disse o delegado geral Ruy Ferraz, em conferência de imprensa. "Pelo menos no planeamento do crime ele participou", concluiu.

Para a polícia, a intenção dos criminosos era superar o número de vítimas da tragédia de Columbine, de 1999 nos Estados Unidos, e obter reconhecimento na comunidade.

O massacre de Suzano resultou em 10 mortes, a de cinco alunos e dois funcionários da escola, a de Moraes, da empresa próxima ao estabelecimento de ensino, e dos próprios criminosos, que se mataram. Segundo a perícia, Guilherme matou Luiz e em seguida suicidou-se. Outras 10 pessoas ficaram feridas.

Em São Paulo

Ler mais

Exclusivos