Superlua deixou canais de Veneza sem água

São comuns as fotos de Veneza inundada, mas a superlua desta semana teve o efeito contrário, com a maré baixa a deixar alguns canais sem água

O tempo seco das últimas semanas, combinado com a superlua desta semana, causou um cenário invulgar em Veneza: gôndolas encalhadas e alguns canais sem água. O fenómeno deve-se a uma combinação de fatores: uma alta pressão sobre a região e a falta de vento pioraram a situação.

É normal nesta altura do ano os canais de Veneza transbordarem e inundarem a cidade, na maré alta, mas esta semana o cenário foi o oposto e o que causou problemas foi a maré baixa. Depois de várias semanas de tempo seco, uma maré mais forte - devido à superlua - expôs o leito de muitos dos canais mais pequenos, prendendo os barcos, uma forma de transporte essencial na cidade italiana.

No final de 2016 Veneza viveu o mesmo problema, com a maré baixa a deixar a linha da água 66 cm abaixo do nível do mar, segundo a agência ANSA: desta vez ficou-se pelos -60. O valor mais baixo registado foi -212, em fevereiro de 1934.

Turistas e habitantes têm partilhado imagens que mostram esta face menos vista de Veneza.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Líderes

A União Europeia e a crise dos três M. May, Macron e Merkel

Já lhe chamam a crise dos três M. May, Macron e Merkel, líderes das três grandes potências da UE, estão em apuros. E dos grandes. Numa altura em que, a poucos meses das eleições para o Parlamento Europeu, florescem populismos e nacionalismos de toda a espécie, pela Europa e não só, a primeira-ministra do Reino Unido, o presidente de França e a chanceler da Alemanha enfrentam crises internas que enfraquecem a sua liderança e, por arrastamento, o processo de integração da UE.