Socialite turca e amigas morrem em queda de avião após despedida de solteira

Avião privado levava onze pessoas a bordo, oito passageiras e três tripulantes, e fazia a viagem entre o Dubai e a Turquia.

Uma rica socialite turca e sete amigas então entre as onze pessoas que morreram este domingo quando o avião privado em que viajavam para casa após uma despedida de solteira no Dubai se despenhou no Irão.

O avião era propriedade da holding do empresário turco Huseyin Basaran e levava a bordo oito passageiras e três tripulantes, informou fonte do Ministério turco dos Transportes. Mina Basaran, filha do empresário, seguia a bordo com sete amigas, estando o grupo a regressar da sua festa de despedida de solteira. O casamento estava marcado para o próximo mês.

Basaran, um antigo presidente adjunto do clube de futebol Trabzonspor, possui negócios que vão de iates ao setor energético. Uma das suas empresas é a maior acionista do Bahrain Middle East Bank BSC, um pequeno banco de investimentos. Os seus projetos de construção incluem blocos de apartamentos de luxo no lado asiático de Istambul chamados Torres Mina, numa homenagem à sua filha.

A última foto na conta de Instagram de Mina Barasan mostra-a rodeada pelas suas sete amigas, todas em robe e com óculos de sol. O post, com a tag #minasbachelorette, diz que a foto foi tirada no hotel de luxo One&Only Royal Mirage Dubai.

"Os destroços do avião e os corpos foram encontrados. Serão transportados montanha abaixo quando o sol nascer. As minhas condolências para as famílias", escreveu no Twitter Kerem Kinik, líder do Crescente Vermelho turco, citando a sua homóloga iraniana.

Reaza Jafarzadeh, porta-voz da Organização de Aviação Civil do Irão, disse à televisão estatal que o avião despenhou-se perto da cidade de Shahr-e Kord, no sudoeste do país.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.