60 ONG europeias pedem à Grécia libertação de dois voluntários detidos

60 organizações humanitárias europeias (ONG) pediram esta sexta-feira às autoridades gregas a libertação de Sarah Mardini e Sean Binder, voluntários da ONG grega ERCI, detidos em 21 de agosto na ilha de Lesbos sob a acusação de tráfego humano e outros crimes graves.

"A detenção de Sarah Mardini e Sean Binder é o caso mais recente de uma tendência europeia de criminalizar a solidariedade", sublinham em comunicado conjunto as 60 organizações humanitárias de vários países europeus.

As organizações qualificaram como "intolerável" que existam práticas estatais que penalizem a solidariedade de cidadãos para com os imigrantes, por colocarem em risco os valores europeus fundamentais, incluindo a justiça e os direitos humanos.

A polícia grega acusa Mardini e Binder de terem facilitado a entrada na Grécia de centenas de migrantes entre agosto de 2016 e janeiro de 2018; de espionagem, por terem acompanhado sistematicamente as comunicações dos guardas-costeiros gregos e da Frontex; e de lavagem de dinheiro através das contas bancárias da ONG.

Yaris Pétsikos, o advogado de Mardini e Binder, já questionou as acusações e solicitou a libertação dos seus clientes.

Segundo Petsikos, a maioria dos supostos atos em que supostamente participaram ocorreram quando os arguidos não se encontravam na Grécia.

Mardini ficou célebre em 2015 quando, com a sua irmã Yursa, conduziu a nado até Lesbos uma embarcação que se encontrava à deriva com uma dezena de refugiados, incluindo elas mesmas.

Ambas obtiveram asilo político na Alemanha e Sarah foi convidada pelo então presidente dos EUA, Barack Obama, a discursar na Assembleia Geral das Nações Unidas sobre a crise dos refugiados.

Yursa participou nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro como membro da equipa de refugiados, e tornou-se na mais jovem embaixadora de boa vontade da ONU.

Esta iniciativa coincidiu com o anúncio de uma greve pelos funcionários do campo migratório de Moria em Lesbos, com mais de 8.000 residentes, devido ao excesso de população do centro e onde o Governo reconhece uma situação "limite".

Com 8.388 residentes oficialmente recenseados para 3.100 lugares, o campo, primeira porta de entrada migratória na Grécia, ultrapassou todos os recordes de densidade destes centros, refere o comité do pessoal em comunicado.

A situação é "muito difícil, ou no limite", reconheceu o ministro da Política migratória, Dimitris Vitsas, em resposta a um apelo à ajuda emitido pelo responsável municipal da ilha.

Ao exigirem medidas para aliviar a situação no campo, e no imediato aumentar a vigilância policial para proteger residentes e pessoal, os funcionários anunciaram uma greve de zelo a partir de sábado, e uma paralisação do trabalho na segunda-feira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.