Ronaldo e Madonna juntam-se às vozes pela Amazónia

"Presidente Bolsonaro, por favor, mude as suas políticas e ajude não só o seu país mas o mundo inteiro", apelou Madonna numa mensagem dirigida ao chefe de Estado brasileiro. O futebolista português afirmou que "é a nossa responsabilidade ajudar e salvar o nosso planeta"

Cristiano Ronaldo e Madonna são as mais recentes figuras publicas mundiais a reagir aos incêndios que estão a consumir a Amazónia há mais de duas semanas. Nas redes sociais, partilharam imagens dos fogos na maior floresta tropical do mundo e manifestaram preocupação pelo que está a acontecer. A cantora norte-americana fez mesmo um apelo ao presidente do Brasil para que mude as suas políticas.

"Os incêndios estão violentos e a Amazónia continua a arder. Isto é uma devastação para o Brasil - para os povos indígenas que vivem lá e para as espécies de plantas e animais que fazem dela a floresta de biodiversidade mais importante!", começou por escrever Madonna.

Na mensagem, a cantora faz um apelo publico ao chefe de Estado brasileiro. "Presidente Bolsonaro, por favor, mude suas políticas e ajude não só ao seu país, mas ao mundo inteiro. Nenhum desenvolvimento económico é mais importante do que proteger esta terra. Precisamos de acordar! O futuro da floresta tropical afeta o futuro do mundo!", sublinhou Madonna.

Cristiano Ronaldo também chamou a atenção para a importância desta região para o futuro do planeta. "A floresta amazónica produz mais de 20% do oxigénio mundial e está a arder há três semanas. É nossa responsabilidade ajudar e salvar o nosso planeta", fez notar o capitão da Seleção Nacional nas redes sociais, onde utilizou, tal como Madonna, a hastag #prayforamazonia.

O futebolista português e a cantora norte-americana juntam-se às vozes de personalidades de várias áreas, como atores, modelos e políticos, que têm manifestado preocupação sobre o desmatamento e os incêndios na maior floresta tropical do mundo, considerada o pulmão do planeta.

É o caso de Leonardo Di Caprio, que partilhou o alerta da ONG Rainforest Alliance de que "os pulmões da Terra estão a arder".

O ator norte-americano já tinha partilhado uma mensagem do ambientalista Nick Rose em que se questiona a falta de cobertura pela comunicação social dos incêndios que já duram há mais de duas semanas.

A manequim brasileira Gisele Bündchen, defensora acérrima da natureza, pede que não se fechem os olhos ao que está a acontecer. "A floresta tem um papel fundamental no equilíbrio do clima na Terra e, consequentemente, nas nossas vidas. Não podemos fechar os olhos para o que está a acontecer na Amazónia. As queimadas crescentes destroem em dias o que a natureza leva anos, séculos para construir. Eu já estive lá e pude ver de perto como tudo acontece, especialmente como os oportunistas se aproveitam da época das secas para deitar a floresta abaixo", denuncia a modelo no Instagram, onde deixou um apelo. "O desmatamento na Amazónia tem que parar!! Pela nossa saúde e pela saúde do nosso Planeta!".

Já no Twitter, Bündchen apelou à assinatura de uma petição da Greenpeace. "Salvem a Amazónia e permaneçam com os guardiões da floresta. Assine a petição agora e proteja as terras das comunidades indígenas e tradicionais", pediu a top model.

A atriz brasileira Taís Araújo afirma que "já passou da hora de nos importarmos e salvarmos o que ainda nos resta do amanhã. Falar sobre isso é apenas o primeiro passo". Um alerta à proteção do meio ambiente que sobe de tom com as imagens dos incêndios na Amazónia. "Nem sei mais se podemos falar em 'futuro', uma vez que já estamos a testemunhar as consequências do descuido das nossas ações e políticas públicas ou a falta delas", escreveu a atriz.

A manequim e atriz Cara Delevingne também fez questão de partilhar imagens dos incêndios na maior floresta tropical do mundo. "A Amazónia está a arder há três semanas e só agora fiquei a saber pela falta de cobertura dos media. A Amazónia é um dos ecossistemas mais importantes da terra. Espalhem a informação", pediu no Instagram.

Em Portugal, as reações também não se fizeram esperar. A atriz Cláudia Vieira, por exemplo, recordou a viagem que fez à Amazónia, "aquela força da natureza". "Só pensava: 'quero levar daqui os meus pulmões bem repletos de oxigénio'", lembrou. Lamentou que pela "estupidez do ser humano é devastado o que mais precisamos para viver neste nosso mundo". "Que impotência, revolta, tristeza sinto, pela ganância do homem", rematou a atriz portuguesa.

A fadista Mariza publicou uma das imagens dos fogos que estão a assolar esta região do Planeta e escreveu: "Peço perdão aos meus filhos e aos vossos. A todas as gerações futuras por tamanha ignorância e ganância de alguns seres humanos.
Mil perdões".

O músico Pedro Abrunhosa, o ator Nuno Lopes, o humorista António Raminhos estão entre as figuras públicas portuguesas que também juntaram a sua voz à de tantos no mundo pela defesa da Amazónia.