Dois mortos e um ferido em ataque com faca num subúrbio de Paris

Atacante foi "neutralizado" pela polícia, tendo acabado por morrer. O ministro do Interior francês revelou que o homem tinha sérios problemas psiquiátricos

Duas pessoas morreram e uma ficou ferida num ataque com faca em Trappes, um subúrbio de Paris, confirmou no Twitter a prefeitura do departamento de Yvelines.

Segundo a BFMTV, o atacante terá gritado Allahu Akbar, ou seja, Deus é grande em árabe, antes de ser baleado pela polícia, entretanto chamada ao local. Num primeiro momento surgiram notícias de que o homem teria morrido devido aos ferimentos mas a polícia referiu apenas que este foi "neutralizado".

As autoridades estão a tentar determinar se o ataque pode ser considerado como terrorista. Mas por enquanto a polícia privilegia a pista de um diferendo familiar. Entretanto, o ministro do Interior francês, Gérard Collomb, drevelou que o homem tinha sérios problemas psiquiátricos.

Collomb explicou que o criminoso "tinha problemas psiquiátricos significativos" e que, embora tivesse um registo por apologia ao terrorismo, responde mais a um perfil de um desequilibrado do que alguém "que responda a 'slogans' de organizações terroristas".

A polícia confirmou no Twitter que a operação na rua Camille Claudel está terminada, pedindo a todos para evitarem a zona e respeitarem o perímetro de segurança.

De acordo com Le Figaro, o atacante barricou-se num pavilhão depois de ter sido atingido a tiro pela polícia.

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou o ataque, referindo que foi realizado por um dos seus "combatente" em resposta ao chamado da organização para atacar cidadãos (dos países) da coligação que combatem o EI.

As autoridades francesas estão a tomar as devidas precauções com esta mensagem e, de momento, a Procuradoria Antiterrorista não está à frente deste caso.

O atacante, identificado como Kamel S., nasceu na cidade de Trappes em 1982 e, de acordo com o canal "BFM TV", era depressivo e alcoólico e tinha apresentado uma queixa contra a sua família por problemas relacionados com uma herança, que foi posteriormente arquivada.

O ministro do Interior francês explicou que a polícia está a analisar o telefone do agressor e outros pertences para obter mais informações sobre as motivações do ataque e tentar esclarecer o conflito dentro da família.

O gabinete do procurador em Versalhes, nos arredores de Paris, está a comandar as investigações.

Situado a 30 quilómetros de Paris, Trappes é um subúrbio desfavorecido da capital francesa apesar de ficar no rico departamento de Yvelines. Metade dos seus 30 mil habitantes tem menos de 25 anos e a taxa de desemprego anda nos 20%.

(Notícia atualizada às 13.19)

Ler mais