O labrador terapeuta que ajudou as vítimas de Larry Nassar

O cão de terapia começou a carreira ao lado de crianças vítimas de abuso. A sua presença é importante para acalmar e acarinhar as testemunhas

Um labrador chamado Preston tem sido o grande apoio das 158 vítimas de abuso sexual por parte ex-médico da seleção norte-americana de ginástica, Larry Nassar. O animal é um cão de terapia e desde 2016 que ajuda crianças vítimas de abusos sexuais quando estas são chamadas a testemunhar, sentando-se ao lado delas e transmitindo-lhes carinho e confiança.

Nos últimos dias, Preston tem estado sentado à porta da sala do tribunal de Ingham, onde decorre a audiência de Nassar, apesar de ser a primeira vez que se vê rodeado de centenas de pessoas que querem assistir ao mediático julgamento.

O cão é um Labrador retrevier com dois anos, preto, e que no dia do julgamento usou uma pequena gravata azul. É uma presença que transmite calma às vítimas, e que as acompanha com o objetivo de lhes dar "amor incondicional", nas palavras de Samantha Ursch, uma das ginastas que testemunhou na semana passada. Ursh foi vítima de Nassar em 2011, quando era ginasta na Universidade do Michigan.

"Ter o Preston aqui foi uma alegria. Ele procura mesmo confortar as pessoas", disse a jovem, citada pelo ABCNews.

Ashley Vance, treinadora do cão, contou que a carreira do animal teve início num centro de advocacia infantil para crianças que sofrem de abusos sexuais, o Small Talk Children"s Assessment Center, em Lansing. A presença de Preston tem feito as crianças voltarem mais vezes ao centro, onde testemunham sobre os abusos sofridos.

Larry Nassar já tinha sido condenado, em dezembro, a 60 anos de prisão por posse de pornografia infantil.

A juíza Rosemarie Aquilina, que conduziu este novo julgamento, condenou o ex-médico da seleção de ginástica a 175 anos de prisão.

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.