Musk chama "pedófilo" a mergulhador que lhe tinha dito para enfiar submarino "onde dói"

O resgate foi um sucesso, mas a relação entre o dono da Tesla e um dos mergulhadores que ajudou a retirar o grupo de rapazes de uma gruta na Tailândia é tudo menos pacífica

Elon Musk e um dos mergulhadores que ajudou a salvar a equipa de futebol encurralada numa gruta na Tailândia estão em pé de guerra. O britânico Vern Unsworth criticou o mini-submarino que o milionário norte-americano construiu para ajudar nas operações de resgate e acusou Musk de ter usado o caso para um "golpe de relações públicas". O fundador da Tesla e da Space X "contra-atacou" e não poupou nas palavras. Chamou-o de "pedófilo" numa publicação do Twitter, publicada no domingo, que entretanto apagou.

O mergulhador já revelou, citado no Guardian, que está a pensar se vai ou não processar Musk, por um insulto para o qual não apresentou qualquer prova ou argumento.

"Peço desculpa, pedófilo, estavas mesmo a pedi-las"

"Ele pode enfiar o submarino onde dói", tinha dito o mergulhador britânico, de 63 anos, numa entrevista à CNN, na qual teceu duras críticas a Musk e às cápsulas submarinas que criou para a operação de resgate. "Não tinha absolutamente nenhuma hipótese de funcionar. Ele não tinha nenhuma noção de como era a passagem na caverna. O submarino tinha cerca de um metro e meio de comprimento, era rígido, não conseguiria passar em esquinas ou qualquer outro obstáculo. Ele não teria feito os primeiros 50 metros na caverna a partir do ponto inicial do mergulho. É apenas um truque de relações públicas", atirou o mergulhador britânico Vern Unsworth.

A resposta não tardou. "Peço desculpa, pedófilo, estavas mesmo a pedi-las", escreveu o norte-americano na rede social, de acordo com o The Guardian . O fundador da Tesla apagou a publicação, mas o insulto, sem contextualização, não passou despercebido pelos utilizadores da rede social.

Segundo a CNN, Elon Musk não se ficou por aqui. Após as criticas dos internautas ao ataque do norte-americano, o fundador do Tesla reforçou o insulto. "Aposto um dólar assinado que é verdade", escreveu na rede social, uma publicação que também foi apagado.

O milionário da indústria automóvel e espacial ofereceu ajuda para resgatar as 12 crianças e o seu treinador, que estiveram presos 17 dias numa gruta em Tham Luang, no norte da Tailândia.

Na rede social Twitter, o norte-americano revelou que tinha construído cápsulas submarinas e que estas tinham sido testadas numa piscina em Los Angeles.

Segundo o plano de Musk, dois mergulhadores especializados levariam uma cápsula com um jovem no seu interior. A cápsula tem várias pegas às quais se ajustam correias que os mergulhadores atariam à cintura.

Os rapazes acabaram por ser todos resgatados a 10 de julho sem o uso dos mini-submarinos de Musk, que foram recusados pelo chefe de operações.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...