May põe governo a combater solidão dos britânicos

Iniciativa é homenagem a Jo Cox, a deputada trabalhista assassinada em 2016. Problema afeta mais de nove milhões de pessoas

O Reino Unido tem desde ontem um membro do seu governo encarregue da solidão, uma forma de homenagear o trabalho da deputada trabalhista Jo Cox, assassinada em 2016, e combater o isolamento sentido por mais de nove milhões de britânicos. Tracey Crouch, de 42 anos, a subsecretária de Estado do Estado e Sociedade Civil foi a pessoa escolhida por Theresa May para coordenar este projeto.

"Todos devemos fazer tudo o que pudermos para, em memória da Jo, acabarmos com a aceitação da solidão para sempre", declarou ontem a primeira-ministra britânica em comunicado. "Para demasiadas pessoas, a solidão é a triste realidade da vida moderna".

A maior parte dos britânicos com mais de 75 anos vivem sozinhos e cerca de 200 mil idosos no Reino Unido não falam com um amigo ou familiar há mais de um mês, de acordo com dados do governo. O executivo de May chama ainda a atenção para o facto de cerca de 85% de jovens deficientes, entre os 18 e os 34 anos, se sentirem sós.

A nomeação de um membro do governo para combater a solidão é a primeira recomendação da Comissão Jo Cox para a Solidão que o governo de Theresa May está a implementar. Tracey Crouch irá "liderar um grupo intergovernamental que terá a responsabilidade de dirigir a ação sobre a solidão em todas as partes do governo e mantê-lo firmemente na agenda", refere o comunicado da primeira-ministra.

"Tenho o privilégio de avançar com o notável trabalho realizado por Jo Cox, a fundação e a comissão. Tenho certeza de que, com o apoio de voluntários, ativistas, empresas e meus colegas deputados de todos os partidos da Câmara, podemos fazer progressos significativos na derrota da solidão", declarou Crouch após a sua nomeação. "Esta é uma questão pela qual a Jo se interessava apaixonadamente e iremos honrar a sua memória abordando-a, ajudando milhões de pessoas por todo o Reino Unido que sofrem de solidão", acrescentou a governante.

Grande parte dos médicos no Reino Unido recebem entre um e cinco pacientes por dia na maior parte dos casos porque se sentem sós, de acordo com a Campanha Fim à Solidão.

A Comissão Jo Cox para a Solidão, criada pela deputada trabalhista de 41 anos pouco antes de ser assassinada por um militante de extrema-direita em junho de 2016, havia pedido ao governo para nomear uma pessoa para tratar deste tema. "A Jo estaria extremamente feliz", tweetou o seu marido, Brendan Cox, após o anúncio de Theresa May.

"A Jo Cox dizia que "jovem ou velho, a solidão não discrimina". Durante o ano de 2017 ouvimos novos pais, crianças, deficientes, cuidadores, refugiados e idosos sobre as suas experiências de solidão", declararam ontem as presidentes da comissão, as deputadas Rachel Reeves (trabalhista) e Seema Kennedy.

O executivo britânico irá publicar durante este ano a sua estratégia intergovernamental para combater a solidão no país e já começou a trabalhar na criação de um fundo para estimular a criação de soluções inovadoras e viradas para a comunidade.

Exclusivos