Manifestantes em cuecas pelo clima na galeria do Parlamento britânico

Durante o debate sobre o Brexit, a atenção dos deputados foi desviada por momentos para o protesto na galeria destinada ao público.

Uma dezena de homens e mulheres despiram-se na galeria destinada ao público na Câmara dos Comuns, ficando apenas de cuecas, durante mais um debate do Brexit no Parlamento britânico. A razão do protesto não era a saída do Reino Unido da União Europeia, mas chamar a atenção para o "elefante na sala", como chamaram à crise climática e ecológica.

A ação foi reivindicada no Twitter pelos ativistas da Extinction Rebellion, isto é, "Rebelião de Extinção".

Os manifestantes tinham pintado no corpo slogans como "lei para a justiça climática agora" e a data de 15 de abril, quando dizem que vai começar a "rebelião internacional". Segundo algumas informações, teriam colado as mãos ao vidro que separa a galeria da Câmara dos Comuns.

Foi precisamente no Twitter que surgiram as fotografias do protesto, não tendo a transmissão do debate sido interrompida, apesar de os deputados terem chamado a atenção para a manifestação.

Segundo os jornalistas no Parlamento, os manifestantes enfrentaram as ordens dos seguranças de sair da galeria. A discussão não era audível na sala porque existe uma parede de vidro a separar a galeria da Câmara dos Comuns. Os jornalistas não podem tirar fotografias porque arriscam perder o acesso à galeria de imprensa.

Em comunicado, o grupo responsável pelo protesto contou como 11 ativistas se despiram para chamar a atenção dos políticos para a crise climática e ecológica. Dois dos membros do grupo tinham o corpo pintado de cinzento e máscaras de elefantes para passar a mensagem que o tema é o "elefante na sala". Inspirados pelo protesto das mulheres que exigiam o direito de voto, há 100 anos, colaram as mãos às superfícies da galeria pública.

Iggy Fox, um biólogo de 24 anos citado no comunicado, explicou o protesto: "Estou cansado do tempo e dos recursos que os nossos governos gastam a rearranjar as cadeiras do Brexitanic [junção das palavras Brexit e Titanic]. Quero um futuro e atualmente eles estão a queimá-lo como se não houvesse amanhã", indicou.

Os manifestantes foram detidos.

Exclusivos