Lordes conservadores e trabalhistas vão votar nos liberais-democratas

Três lordes, dois dos Tories e um do Labour, apelaram ao voto no Partido Liberal-Democrata nas eleições europeias desta quinta no Reino Unido

Michael Heseltine, membro da câmara dos Lordes e ex-vice-primeiro-ministro do Reino Unido, foi suspenso do Partido Conservador de Theresa May depois de dizer que vai votar no Partido Liberal-Democrata nas europeias desta quinta-feira. Mas não é o único. Há pelo menos mais dois lordes, um dos Tories e outro do Labour, a dizer que vão fazer o mesmo.

"Cheguei à mesma conclusão do que Michael Heseltine, pelas mesmas razões - e irei votar nos liberais-democratas nas eleições de quinta-feira para o Parlamento Europeu", escreveu no Twitter o Lorde Andrew Cooper, fundador do instituto de sondagens Populus e ex-diretor de estratégia do governo conservador de David Cameron (o primeiro-ministro que prometeu e realizou o referendo sobre o Brexit a 23 de junho de 2016).

Também Cooper foi suspenso do Partido Conservador depois de o líder do grupo conservador nos Lordes lhe ter comunicado que "apoiar candidatos de outro partido não é compatível com a disciplina de voto dos Conservadores".

Michael Cashman, Lorde do Labour e ex-ator do EastEnders, também indicou que vai votar no partido de Vince Cable. "Não confio em [Jeremy] Corbyn ou nas pessoas que estão à volta dele no que toca ao mais importante assunto desde o pós-guerra da Grã-Bretanha [o Brexit]. Por isso, na quinta-feira não vou votar no Labour. Tal como disse Matthew Parris, eu não sou um liberal-democrata, mas vou apoiá-los pela sua absoluta consistência. Vou votar nos liberais-democratas nas eleições europeias. Acho que acabei de me demitir do Labour ao declarar que vou apoiar os liberais-democratas nas eleições europeias".

Há 15 dias, o ex-primeiro-ministro e ex-líder do Labour, Tony Blair, também manifestou o seu descontentamento em relação à forma como Corbyn tem gerido a questão do Brexit. E, não indo ao ponto de apelar ao voto nos liberais-democratas, pediu que os britânicos que são contra o Brexit votem num dos outros partidos pró-permanência do Reino Unido na UE. "Vejo muita gente trabalhista que diz que atualmente não consegue votar no Labour. E eu digo-lhes que não fiquem em casa e que, pelo menos, vão votar nalgum dos outros partidos que defendem a permanência do Reino Unido na UE", declarou Blair, de 66 anos, na Sky News.

Nas sondagens, lideradas pelo Partido do Brexit de Nigel Farage, o Partido Liberal-Democrata surge em segundo lugar nas intenções de voto dos eleitores britânicos. O Labour surge em terceiro, mas com os Verdes a subirem e a ficarem muito perto. Os Conservadores de Theresa May surgem em quarto lugar apenas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.