Avicultura indiana está a criar superbactérias globais

Estudo britânico revela que galinhas criadas com antibióticos potentes põe em risco saúde mundial

As galinhas criadas na Índia receberam doses de antibióticos considerados um dos mais fortes do mundo, revela um estudo. O alerta é feito a nível global: doenças facilmente tratáveis no século passado, como a pneumonia, poderão voltar a tornar-se mortíferas, uma vez que a toma desses medicamentos causam resistência nos animais.

A descoberta de que têm sido usadas centenas de toneladas de colistina - considerado o "antibiótico de último recurso" - em galináceos criados em quintas na Índia está presente num estudo do The Bureau of Investigative Journalism, uma plataforma sem fins lucrativos criada por jornalistas britânicos.

Os resultados da investigação estão presentes num texto que recebeu o nome: "ue" e conta como a colistina é utilizada sem supervisão médica em galinhas que não estão doentes, com o único objetivo de as fazer crescer.

A descoberta é preocupante uma vez que o uso de drogas tão poderosas pode levar a uma crescente resistência dos animais ao antibiótico. A colistina é considerada uma das últimas linhas de defesa contra doenças graves, incluindo a pneumonia, que não pode ser tratada com outros medicamentos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Líderes

A União Europeia e a crise dos três M. May, Macron e Merkel

Já lhe chamam a crise dos três M. May, Macron e Merkel, líderes das três grandes potências da UE, estão em apuros. E dos grandes. Numa altura em que, a poucos meses das eleições para o Parlamento Europeu, florescem populismos e nacionalismos de toda a espécie, pela Europa e não só, a primeira-ministra do Reino Unido, o presidente de França e a chanceler da Alemanha enfrentam crises internas que enfraquecem a sua liderança e, por arrastamento, o processo de integração da UE.