Donald Trump e Micahel Cohen: quem está a mentir?

O presidente norte-americano diz que o ex-advogado lhe pediu desculpa mas ele recusou-se a perdoá-lo.

O presidente norte-americano Donald Trump disse esta sexta-feira que o seu antigo advogado pessoal, Michael Cohen, lhe pediu desculpa por se ter virado contra ele mas que Trump se recusou a perdoá-lo.

"O mau advogado e fraudolento Michael Cohen testemunhou sob juramento que nunca me tinha pedido perdão. Os seus advogados contradisseram-nos. Ele mentiu!", afirmou Trump num tweet. "Além disso, ele pediu-me desculpa diretamente. Eu disse não. Ele mentiu outra vez!"

Cohen respondeu imediatamente, acusando Trump de mentir.

Michael Cohen deverá começar a cumprir a 6 de maio a pena de prisão de três anos a que foi condenado por mentir ao Congresso em 2017, a par de outras condenações.

Na altura, Cohen negou que Trump tivesse interesses económicos em Moscovo ou tivesse contactado com russos, declarações que reconheceu depois serem falsas e que atribui a uma "revisão e edição" do seu testemunho por parte dos advogados do presidente. Em fevereiro passado, Michael Cohen foi ouvido no Congresso acusando Donald Trump de estar envolvido na publicação de e-mails de Hillary Clinton na WikiLeaks durante a última campanha para as presidenciais americanas, pagamentos a mulheres para abafar alegados escândalos sexuais e relações obscuras com a Rússia. O presidente recusou todas as acusações. No seu último testemunho, Cohen acusou Trump de ser racista, um vigarista e um batoteiro.