De espia ao Congresso. Valerie Plame lança candidatura com vídeo de ação

Ex-agente da CIA, cuja identidade foi revelada por responsáveis da administração de George W. Bush, revelou vídeo de candidatura que parece saído de um filme de Hollywood.

Valerie Plame, antiga espia da CIA cuja identidade foi revelada por elementos da administração do presidente George W. Bush, é candidata democrata ao Congresso dos EUA no Novo México e divulgou na segunda-feira o vídeo de lançamento da campanha. Um vídeo que parece saído de um filme de ação de Hollywood.

No vídeo, Plame, de 56 anos,, conduz um carro desportivo pelo deserto em marcha atrás, contando como em 2003 o então chefe de gabinete do vice-presidente Dick Cheney, Scooter Libby, divulgou a sua identidade. Condenado por mentir na investigação, Libby foi perdoado no ano passado pelo presidente Donald Trump.

"Estou a concorrer ao Congresso porque estamos a ir para trás em segurança nacional, cuidados de saúde e direitos das mulheres. Precisamos de dar a volta ao país", diz Plame, antes de virar o carro e parar, sair do veículo e tirar os óculos de sol. "E sim, a CIA ensina-nos mesmo a conduzir assim", acrescenta, "E sr. presidente, tenho algumas contas a acertar", refere a ex-espia, que tinha anunciado em maio que seria candidata a um lugar na Câmara dos Representantes.

"Eu era uma agente da CIA. A minha missão era impedir que estados párias e terroristas de terem armas nucleares. Digam um ponto quente, eu vivi lá", diz Plame em voz off no vídeo, enquanto conduz ao contrário e no ecrã passam os nomes de países como Irão, Iraque, Síria, Paquistão e Coreia do Norte.

"Então, o chefe de gabinete do Dick Cheney vingou-se do meu marido e divulgou a minha identidade", explica. Plame tinha recomendado que a administração Bush enviasse o seu marido, o ex-diplomata Joseph Wilson, para o Níger para investigar as acusações de que o ditador iraquiano Saddam Hussein tinha tentado comprar urânio para produzir armas de destruição massiva. Wilson não encontrou provas e, num artigo de opinião no The New York Times, acusou mais tarde a administração Bush de ter exagerado a ameaça que Saddam representava para justificar a invasão do Iraque.

Contando das ligações militares da família, Plame revela como o próprio governo a desmascarou e como deixou Washington para cuidar da família no Novo México, que apelida de "um dos melhores locais do mundo". No total, há cerca de uma dúzia de candidatos ao cargo de congressista pelo 3.º distrito do Novo México. O atual congressista, Ben Ray Lujan, é candidato ao Senado.

As memórias de Plame foram publicadas em livro e adaptadas ao cinema em 2010, no filme Jogo Limpo, no qual Naomi Watts desempenha o papel da ex-espia e Sean Penn o do seu marido.