Coreia do Norte coloca "número dois" do regime a liderar o partido

O Departamento de Organização e Planeamento, que vai chefiar, é considerado o mais influente dentro do país

Choe Ryong-hae, considerado o "número dois" do regime da Coreia do Norte, foi colocado à frente do poderoso departamento de organização do Partido dos Trabalhadores, informou hoje o Ministério da Unificação da Coreia do Sul.

Choe, de 68 anos, e vice-presidente do comité central do partido único norte-coreano, terá sido designado para o cargo durante o importante plenário da formação política de outubro, apesar da ausência de menção por parte dos meios de comunicação social oficiais da Coreia do Norte, diante da natureza opaca em torno desse departamento, indicou o Ministério sul-coreano.

Com esta nomeação, Choe, que caiu em desgraça em 2014, mas foi depois reabilitado, sai bastante reforçado.

Embora, também durante a reunião de outubro, lhe tenha sido dado, novamente, um assento na poderosa Comissão Militar Central do partido, o órgão que aparentemente encabeça agora, conhecido como Departamento de Organização e Planeamento, é considerado o mais influente dentro do hermético país.

Esta seria, além disso, a primeira vez desde os anos 1990 que alguém que não pertence à família Kim fica à frente do referido departamento, convertido no "coração na sombra" do regime durante a liderança de Kim Jong-il (1994-2011).

Uma das razões para ser endossada a sua nomeação terá que ver com a cobertura do plenário de outubro que foi feita pelos 'media' norte-coreanos, dado que, ao enumerarem os participantes do evento nomearam Choe antes de Hwang Pyong-so, outro peso pesado do regime, e não ao contrário como era costume.

Hwang caiu em desgraça pouco depois, em novembro, e foi alvo de uma purga do próprio Choe, assegurou na altura o Serviço Nacional de Inteligência de Seul

Um relatório do Ministério da Unificação da Coreia do Sul, em que se referem as mudanças na cúpula do regime no ano passado, indicou também que, depois da destituição de Kim Won-hong como ministro da Segurança Estatal, cargo que controla o "bowibu" (a polícia secreta do regime) foi nomeado, como substituto, Jong Kyong-thaek.

Jong também é membro da Comissão Militar Central do partido, como Choe.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.