Cocktails Molotov e bombas caseiras apreendidas em zona ocupada por "coletes amarelos"

Ministro do Interior francês, Christophe Castaner, confirmou que está previsto um dispositivo de segurança "em larga escala", focado em mais "mobilidade" e "capacidade de resposta" para a manifestação de sábado.

Vinte e oito cocktails Molotov "prontos para uso" e três bombas caseiras foram apreendidos hoje de manhã numa rotunda ocupada por "coletes amarelos" em Montauban, na véspera de uma nova manifestação, anunciaram as autoridades.

O anúncio das apreensões foi feito através de um comunicado conjunto do prefeito de Tarn-et-Garonne e do Ministério Público, que abriu uma investigação por "transporte de substâncias ou produtos explosivos", crime que prevê penas de cadeia até 10 anos.

As autoridades já disseram que temem que a situação se agrave no sábado em Montauban, uma comuna francesa e capital do departamento de Tarn-et-Garonne, no sul da França.

Confrontado com "elementos radicais, facciosos, que tentarão novamente mobilizar-se" na manifestação de sábado, o ministro do Interior francês, Christophe Castaner, confirmou que está previsto um dispositivo de segurança "em larga escala", focado em mais "mobilidade" e "capacidade de resposta".

89 mil policiais e elementos da guarda serão mobilizados no sábado

As autoridades esperam "alguns milhares de pessoas (em Paris), mas nessas pessoas existem pessoas ultraviolentas", disse o governante, lamentando que estas últimas três semanas (de mobilização) tenham dado origem a um "monstro que escapou dos seus progenitores".

"Agora, é tempo para dar lugar à República, aos nossos valores, ao respeito pelo direito, ao diálogo e reconciliação, à paz e à proteção", exortou.

Christophe Castaner estimou que a mobilização reúna "cerca de 10.000 (pessoas) em toda a França". "Dez mil pessoas não é um povo, não é a França, é uma pequena minoria", disse ele, sublinhando que essa minoria inclui "pessoas pacíficas e bem-intencionadas", mas "também pessoas que se radicalizaram, (...) que caíram na violência e no ódio, um ódio abalado por conspirações de todos os tipos, e que são exploradas por grupos extremistas que sonham em abalar a República".

O ministro também não excluiu a presença de "militantes estrangeiros violentos", como foi o caso do 1.º de maio. "Tememos essa mobilização", disse o ministro, acrescentando que "funcionários do Arco do Triunfo disseram ter visto um alemão e um português a invadir no Arco do Triunfo no último sábado.

No total, 89 mil policiais e elementos da guarda serão mobilizados no sábado, em França, incluindo oito mil em Paris, onde uma dúzia de veículos blindados da guarda serão utilizados pela primeira vez na capital.

Esses veículos blindados "não são o exército, não são os tanques, são meios especializados da guarda nacional que permitem 'limpar' as barricadas", disse Christophe Castaner.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?